Foto: Polícia Civil/Divulgação

Foto: Polícia Civil/Divulgação

A Polícia Civil concluiu, nesta quarta-feira (5), o inquérito que apura a denúncia de abuso sexual de um professor da rede municipal de Santo Amaro da Imperatriz contra sete alunas de 10 e 11 anos. O homem de 59 anos, preso preventivamente desde 26 de novembro, está sendo indiciado ao Ministério Público por estupro de vulnerável, que prevê pena máxima de 15 anos.

Conforme o delegado Rodrigo Mayer, que presidiu o inquérito, as apurações duraram um mês e tiveram início quando as meninas resolveram contar aos pais sobre os fatos, que depois procuraram a Polícia Civil. Após a prisão, mais duas vítimas denunciaram o abuso na Polícia Civil e Mayer acredita que outras possam ainda surgir.

“De acordo com os relatos, aproveitando-se de sua posição profissional, o professor abusava sexualmente de diversas alunas, mediante a prática de atos libidinosos diversos da conjunção carnal”, comentou Mayer.

Existe ainda a suspeita de que o investigado armazenasse conteúdo de pornografia infantojuvenil em seus computadores, que foram apreendidos na data de sua prisão. “Aguardamos o resultado da perícia e se confirmando essa suspeita ele vai responder também pelo crime de pedofilia previsto no ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente)”, afirma Mayer.

A Polícia Civil alerta para a importância de que crianças contem a seus responsáveis sobre quaisquer atos de abusadores, e garante que toda notícia nesse sentido será apurada com o maior rigor possível.

Quer receber as notícias no WhatsApp?