Polícia Civil encontra os corpos de quatro traficantes apontados como autores de triplo homicídio de médicos

Foto: Reprodução Redes Sociais

Por: Claudio Costa

06/10/2023 - 08:10 - Atualizada em: 06/10/2023 - 08:25

A Polícia Civil encontrou quatro corpos de traficantes apontados como autores do ataque a tiros que vitimou fatalmente quatro médicos no Rio de Janeiro.

De acordo com as informações da CNN, a ocorrência foi registrada nesta sexta-feira (6).

Os corpos dos supostos autores do ataque a tiros tinham ferimentos de disparos de arma de fogo e facadas.

Eles estavam em dois carros encontrados em pontos diferentes da zona oeste. Um dos mortos estava no porta-malas de um veículo na Praça da Gardênia, na Gardênia Azul.

Os outros três estavam em outro veículo, em uma rua perto do Riocentro.

As investigações apontam que os quatro ortopedistas estavam em um quiosque, na Barra da Tijuca, na madrugada desta quinta-feira (5).

Os autores desceram de um carro e atiraram contra as vítimas, uma delas sobreviveu e foi encaminhada para o hospital.

Segundo informações do analista da CNN Leandro Resende, as investigações apontam que o crime teria sido cometido por traficantes que confundiram um dos médicos do grupo, Perseu Ribeiro Almeida, com um filho de um miliciano.

Segundo essa hipótese, a execução encomendada seria a de Taillon de Alcântara Pereira Barbosa, filho de Dalmir Pereira Barbosa, um dos principais chefes da milícia que atua na zona Oeste do Rio.

Investigadores da Delegacia de Homicídios da Capital informaram que o corpo encontrado na Gardênia Azul seria de um traficante chamado Lesk.

Ele teria migrado da milícia para o Comando Vermelho após a entrada do tráfico no bairro. Os investigadores acreditam que ele teria sido o autor da ordem do ataque contra os médicos.

Quem eram as vítimas?

Diego Ralf Bomfim, de 35 anos, era irmão da deputada federal Sâmia Bonfim (PSOL-SP). Foi médico residente pelo Instituto de Ortopedia e Traumatologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP) entre 2020 e 2021. Diego fazia parte da Rede D’Or em São Paulo.

Marcos de Andrade Corsato, de 62 anos, era médico assistente do Instituto de Ortopedia e Traumatologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP) desde 1992. Fazia parte do corpo clínico do Hospital Sírio-Libanês de São Paulo.

“É com profunda tristeza que a Sociedade Beneficente de Senhoras Hospital Sírio-Libanês recebeu a notícia sobre a morte do Dr. Marcos de Andrade Corsato, membro valoroso e dedicado do nosso corpo clínico e com uma passagem de nove anos pelo nosso pronto atendimento. Sua partida repentina deixa um vazio imensurável em nossa instituição e na comunidade médica como um todo”, diz a nota do hospital.

Perseu Ribeiro Almeida, de 33 anos, foi médico residente do Instituto de Ortopedia e Traumatologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP entre 2021 e 2022. Ele trabalhava em Ipiaú, no sul da Bahia.

“O Dr. Perseu, de 33 anos, dedicou os últimos 5 meses de sua vida ao Hospital Geral de Ipiaú, onde atendia com dedicação e comprometimento os cidadãos de Ipiaú e da região”, diz a nota da prefeitura da cidade.

*Com informações da CNN e Agência Brasil.

 

Notícias no celular

Whatsapp

Claudio Costa

Jornalista pós-graduado em investigação criminal e psicologia forense e pós-graduando em perícia criminal.