Foto 14º BPM/Divulgação
Foto 14º BPM/Divulgação

A Justiça decretou, na tarde de sexta-feira (8), a prisão provisória de Bryan Ferdinando Gangolf, de 18 anos, e ordenou a internação de uma adolescente de 16 e um adolescente de 17 anos em Guaramirim. Os três confessaram a autoria do latrocínio contra o taxista Elias Miguel Simas, de 54 anos.

A Polícia Civil continua a investigação sobre crime. O trio levou R$ 390 e dois celulares da vítima, recuperados durante a prisão. De acordo com o delegado Caleu Mello, que preside o inquérito, os próximos passos consistem na oitiva de testemunhas citadas nos depoimentos dos três acusados e laudos resultantes das análises feitas pelo Instituto Geral de Perícias.

“Ainda há perícias que serão realizadas pelo IGP. Os peritos estão com o carro da vítima para colher informações e, em conjunto com as marcas do corpo, informarem a dinâmica do crime. Outras pessoas que foram citadas de forma secundária no fato também serão ouvidas”, conta o delegado.

Outro trabalho que também será feito pelo Instituto Geral de Perícias é o mapeamento dos dados telefônicos dos celulares apreendidos durante a prisão dos envolvidos no crime. Ao todo, cinco aparelhos serão periciados – dois da vítima, um de Bryan, utilizado para atrair Elias para o local, um da adolescente e um da namorada do maior.

O papel de cada um dos envolvidos ficou bem definido nos depoimentos, apesar de algumas partes serem conflitantes. No momento em que o carro chegou no local ermo, a adolescente retirou a chave da ignição. Ele desferiu golpes com um soco inglês na cabeça de Elias, enquanto Bryan desferiu cerca de 45 facadas na vítima.

“A princípio, ficou bem definido o latrocínio. O maior vai responder por corrupção de menores, por envolver dois adolescentes no crime. Os dois menores vão responder por ato infracional análogo ao crime de latrocínio”, afirma Caleu.

Motivo torpe

O comandante do 14º Batalhão de Polícia Militar, tenente-coronel Márcio Leandro Reisdorfer, contou como foi a captura dos suspeitos. O oficial classificou o crime como “torpe”.

A operação começou logo após o carro, um Chery QQ, ser encontrado na nas proximidades da distribuidora Dequech, na rua Athanasio Rosa, no Centro, na manhã de quinta.

O crime ocorreu na noite anterior. O corpo do taxista foi encontrado em um arrozal na localidade de Ribeirão do Salto. Após o encontro do cadáver, a adolescente suspeita de cometer o crime foi apreendida pela PM ainda na noite de quinta-feira (7).

“Diante das informações colhidas após a apreensão da adolescente, começamos as ações na área de inteligência combinadas com as de radiopatrulha. Por volta das 3h desta sexta, conseguimos localizar os outros dois elementos escondidos em uma casa abandonada no bairro Nova Esperança”, descreve o comandante.

Após um cerco, o adolescente foi apreendido e Bryan foi preso pelos policiais militares. O trio também disse que a faca utilizada no crime foi abandonada em arrozal onde o corpo foi desovado, mas o objeto utilizado para matar o taxista não foi encontrado pelos PMs.

“Este crime trouxe o ensejo de uma resposta rápida da Polícia Militar para a sociedade. Os meus parabéns vão aos policiais de Guaramirim, ao capitão Edson e ao pessoal da Radiopatrulha, que não mediram esforços ininterruptos desde o momento em que foi encontrado o táxi até a prisão dos envolvidos durante a madrugada desta sexta”, finaliza Reisdorfer.

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?