A Polícia Civil, através da Delegacia de Repressão a Crimes Ambientais da DEIC, deflagrou operação para cumprimento de mandados de busca e apreensão, a fim de colher elementos de prova que visam desarticular organização criminosa que atua em construções clandestinas de prédios residenciais na Capital catarinense.

A prática criminosa tem uma rentabilidade exorbitante que leva os autores a conseqüente prática de lavagem de dinheiro, para ocultar e dissimular a natureza e origem dos bens adquiridos com proventos ilícitos, provenientes dos crimes ambientais e ocupação irregular do solo urbano nos termos da Lei 9605/98 e 6766/79.

Foram deferidas pelo Poder Judiciário, além das buscas, medidas cautelares de seqüestro de bens, quebra de sigilo fiscal e bancário | Foto Divulgação

Foram deferidas pelo Poder Judiciário, além das buscas, medidas cautelares de seqüestro de bens, quebra de sigilo fiscal e bancário para esclarecer a origem ilícita do patrimônio acumulado pelos investigados. A operação aconteceu nesta quarta-feira (31).

“Enquanto as construções forem feitas sem as devidas licenças ambientais e sem observância das regras e limitações para ocupação do solo urbano, o impacto ambiental é certo e despertará atenção da Polícia Civil”, alerta a Delegada Beatriz Ribas Dias dos Reis, responsável pela unidade policial.

A Delegada informa que as ações no combate ao crime ambiental lavagem de dinheiro e organizações criminosas serão permanentes, sempre buscando medidas cautelares de proteção ao meio ambiente e desarticulação de organizações criminosas.

Quer receber as notícias no WhatsApp