A Polícia Civil busca saber a motivação e os responsáveis pelas mortes de pelo menos três pessoas em Guaramirim. Duas delas, Jéferson André de Jesus e Raimundo Marciano de Souza Oliveira, foram identificadas pelo Instituto Médico Legal e liberadas para o sepultamento pelas respectivas famílias. O caso mais complicado é o de um corpo em avançado estado de decomposição e que ainda aguarda identificação no órgão em Jaraguá do Sul. De acordo com o delegado Augusto Melo Brandão o SIC (Setor de Investigação Criminal) da Delegacia de Guaramirim buscou informações sobre os casos, mas não obteve maiores avanços nas investigações. “Nossos agentes foram para a rua para buscar informações sobre o rapaz morto com as mãos e pés amarrados. Ele era usuário de drogas, vivia perambulando pelas ruas da cidade, mas os policiais não identificaram nenhum desafeto ou motivação para o crime”, afirma Brandão sobre o caso de Raimundo. A vítima foi encontrada boiando em um rio no bairro Avaí, no dia 13 de março. Três crianças foram até um local conhecido pelos usuários de drogas e avistaram o corpo na beira dor rio Itapocu. Raimundo estava totalmente coberto de lama, o que pode indicar que ele ficou na água por mais de 24 horas. A causa da morte foi afogamento. O caso de Jéferson também está sem solução. Trabalhador da industrial têxtil, ele foi encontrado às margens da BR-280. O caso aconteceu no dia 11 de março, no quilômetro 44 da rodovia, no bairro Poço Grande. Jéferson André de Jesus estava com diversas lesões de arrastamento e o veículo que o atropelou não prestou socorro. A terceira vítima e mais recente ainda não tem identificação. O corpo encontrado em estado avançado de decomposição no dia 19 de abril. Não foi possível nem identificar se é homem ou mulher. Segundo Brandão, foi encontrada uma corda no local em que estava o cadáver. Um galho também estava quebrado, ou seja, pode ser que a pessoa tenha cometido suicídio.