O 21º BPM (Batalhão de Polícia Militar) deflagrou a Operação Guardião do Norte II. Nesta terça-feira (5), 46 pessoas foram presas, cinco delas em flagrante. A ação contou com o apoio da Polícia Civil e do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado).

A operação é resultado de uma investigação promovida pela 39ª Promotoria de Justiça da Comarca da Capital, tendo como alvos elementos de organização criminosa que atuam na região metropolitana de Florianópolis.

Além das prisões, que eram o foco principal da operação, foram apreendidos: 44 aparelhos celulares, 6 computadores, aproximadamente R$ 3.700, 8 quilos de maconha e 1 veículo, que servirão como provas do funcionamento regular da organização criminosa e que comporão os autos do procedimento investigatório criminal instaurado pelo Ministério Público de Santa Catarina para apurar as condutas dos envolvidos.

Foto: Batalhão de Polícia de Choque/Divulgação

As investigações que tiveram início em 2020, sendo que nessa etapa foram deferidos 60 mandados de prisão temporária e 39 mandados de busca e apreensão, os quais foram cumpridos em Florianópolis, Palhoça, Getúlio Vargas (RS) e Santa Terezinha do Itaipú (PR), o que denota o caráter interestadual.

Dentre os presos estão lideranças de organização criminosa e membros atuantes principalmente nos crimes de tráfico de drogas e armas, roubo, furto, homicídio, dentre outros delitos.

Segundo o subcomandante-geral da PMSC, coronel Evandro Fraga, a Operação foi um sucesso.

“Conseguimos atingir o objetivo. Essa operação servirá para que tenhamos novos elementos para as próximas ações da PMSC, do Ministério Público em conjunto com as demais forças de segurança que compõem o Colegiado Estadual em combate ao tráfico e a preservação da ordem em Santa Catarina”, completou.

Participam da operação 233 policiais do 21º BPM, do Batalhão de Polícia de Choque, do Bope (Batalhão de Operações Policiais Especiais), da Companhia de Policiamento com Cães, guarnições do PPT (Pelotão de Patrulhamento Tático) de várias regiões, Polícia Civil e Gaeco.