A Polícia Militar montou, nesta segunda-feira (16), uma operação para prender Helio Juvencio Custodio Junior, de 35 anos, acusado de tentar assassinar o soldado Henrique Benenvine em Jaraguá do Sul. Custodio foi preso por policiais militares e civis no fim da tarde, na residência localizada na rua Lauro Zimermann, no bairro Escolinha, em Guaramirim.

Guarnições da Radiopatrulha, do Pelotão de Patrulhamento Tático e do Canil realizaram um cerco para garantir a prisão do acusado. De acordo com o comandante do 14º Batalhão de Polícia Militar, tenente-coronel Márcio Leandro Reisdorfer, o desfecho é uma resposta para a sociedade e, principalmente, para a PM.

“É uma resposta para a sociedade porque todo crime atenta contra a coletividade. Mas hoje eu peço licença para dizer que foi uma resposta para os policiais militares que trabalham todos os dias nas ruas. Foi uma agressão injusta, vil e agradecemos ao Judiciário por ter entendido isso”, comenta Reisdorfer.

Foto: Cláudio Costa/OCP News

O comandante do 14º BPM ressalta que recebeu mensagens de solidariedade de diversas pessoas que acreditam no trabalho da Polícia Militar e que valorizam o serviço prestado pelos policiais militares. “Nós também somos pais de família”, frisa o tenente-coronel.

Custodio foi levado para a Delegacia da Comarca de Jaraguá do Sul. Após os procedimentos, ele foi encaminhado para o Presídio Regional de Jaraguá do Sul, onde vai aguardar o processo preso na unidade.

Mandado de prisão

O mandado de prisão preventiva foi expedido pelo juiz titular da 1ª Vara Criminal de Jaraguá do Sul, Crystian Krautchychyn. Após o envio do inquérito policial, o promotor de Justiça, Márcio Cota, fez o pedido da prisão do acusado para o juiz por volta das 14h desta segunda.

Foto: Cláudio Costa/OCP News

Cota destaca que Custodio foi solto durante a audiência de custódia realizada no Fórum da Comarca de Jaraguá do Sul. Segundo ele, o juiz e o promotor de plantão não tinham acesso a todos os elementos que caracterizaram o crime e, por isso, acabaram decidindo pela soltura com uma fiança de R$ 5 mil.

“Aquilo começou com um crime de trânsito e uma lesão corporal. Eles não tinham ideia da gravidade do fato. Agora, com as imagens que se tornaram públicas após essa audiência, com o estado do policial no hospital, com os depoimentos que nós colhemos, fica bem evidente que foi uma agressão covarde, uma tentativa de homicídio”, comenta Cota.

Trabalho de investigação

A Polícia Civil trabalhou para concluir o inquérito ainda no início da tarde de segunda. A investigação foi presidida pelo delegado Rodrigo Carriço, que realizou oitivas com testemunhas e, inclusive, com a vítima. Benenvine foi submetido a um exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal.

Foto: Cláudio Costa/OCP News

O delegado regional Fabiano dos Santos Silveira afirma que as imagens do vídeo divulgado nas redes sociais, que também foram incluídas no inquérito policial, mostram que os PMs respeitaram os procedimentos de abordagem e resguardaram a vida do agressor.

“Esse vídeo é substancial, porque mostra a conduta lícita dos policiais militares na abordagem, fazendo uso progressivo da força, sempre verbalizando, utilizando armamento não letal e sempre buscando preservar a vida do autor”, comenta o delegado regional.

De acordo com Fabiano, o vídeo também mostra claramente a conduta criminosa do abordado, que atingiu o PM com um soco e, posteriormente, foi chutado na cabeça, mostrando que houve uma possível tentativa de homicídio.

O crime

O crime ocorreu durante uma abordagem normal de trânsito na noite de sábado (14). Custodio estava dirigindo um Renault Sandero em alta velocidade e deu um cavalo de pau na frente da viatura na rua Ferdinando Pradi, no Centro, em Jaraguá do Sul.

De acordo com a PM, ao saber que o veículo seria guinchado e que seria preso, Custodio começou a reagir. O motorista não acatou as ordens dos policiais militares e, em um certo momento, deu um soco em Benenvine, que caiu no chão e, mesmo desacordado, foi agredido com mais um chute na cabeça.

Para tentar impedir o motorista, o parceiro de Benenvine fez disparos com uma espingarda carregada com balas de borracha. A ação não teve efeito e Custodio seguiu tentando agredir o policial militar, que sacou a pistola .40 e o fez deitar no chão.

Após a chegada de reforços, o homem foi preso e levado para a delegacia. Benenvine foi socorrido pelo Corpo de Bombeiros Voluntários e pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência. Ele teve um traumatismo craniencefálico e foi levado para o Hospital São José, onde ficou internado e recebeu alta hospitalar nesta segunda.