A Polícia Federal deflagrou na manhã desta quarta-feira (20) a Operação Wanderlust, para desarticular organização criminosa especializada no envio de cocaína para a Europa através de aeroportos internacionais do País e no tráfico de haxixe para o Brasil.

Cerca de 200 policiais federais cumprem 40 mandados de prisão e 40 de busca e apreensão em Santa Catarina e também no Rio Grande do Sul, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Mato Grosso, Paraíba, Amazonas e no Distrito Federal.

Em Santa Catarina foram realizadas buscas e apreensões em Florianópolis, Itapema, Balneário Camboriú, Joinville e Blumenau.

Também são executadas ordens judiciais para apreensão de 40 veículos, (embarcações, caminhões, automóveis e motocicletas) e o sequestro de bens com valor estimado em mais de 10 milhões de reais.

As investigações iniciaram em março de 2019 e identificaram que a organização criminosa, a partir de Caxias do Sul (RS) e de Curitiba (PR), recrutava mulheres em diversos estados do país para atuarem como “mulas” no transporte da droga para a Europa.

Conexão Lisboa

No decorrer do inquérito policial foram realizados diversos flagrantes em aeroportos brasileiros e no exterior, com 25 pessoas presas em flagrante, seis delas em Lisboa, e quase duas toneladas de drogas apreendidas.

Em uma das ações, a Polícia Federal interceptou em João Pessoa (PB) uma carga de 1,6 tonelada de haxixe em um veleiro que havia partido do Marrocos, na África, que foi a maior apreensão da droga pela Polícia Federal.

A Operação contou com o apoio da Adidância da Polícia Federal em Portugal e com acordos de Cooperação Policial Internacional com diversos países para levantamento de informações e diligências no exterior.

O nome da Operação

Wanderlust é uma palavra alemã que pode ser traduzida como um desejo intrínseco e profundo de viajar. É formada pela junção das palavras Wander, que corresponde à prática de caminhada ou trilha, e lust, que quer dizer luxúria, ou mais que um desejo, uma vontade profunda.