Foto: Rafael Verch/OCP  O Sindicato dos Trabalhadores de Alimentação de Jaraguá do Sul e Região confirmou na tarde desta segunda-feira (27) as demissões de quase 200 funcionários da unidade da Peccin Agro Industrial Ltda em Jaraguá do Sul. Além dos funcionários demitidos, pelo menos mais uns 80 entre terceirizados e prestadores de serviço devem ser atingidos. A unidade localizada no bairro Santa Luzia é uma das envolvidas na Operação Carne Fraca, da Polícia Federal, deflagrada no dia 17, e passou por auditoria no decorrer da semana passada. Na sexta (24), a Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon), vinculada ao Ministério da Justiça, já havia determinado que todos os produtos dos frigoríficos Souza Ramos, Transmeat e Peccin fossem recolhidos do comércio, e que consumidores que quiserem devolver produtos já adquiridos, sejam ressarcidos. SAIBA MAIS:  Funcionários da Peccin Agro Industrial protestam em defesa dos empregos em Jaraguá do SulAuditores continuam inspeção em filial de frigorífico em Jaraguá do SulDono de frigorífico é preso pela Polícia Federal em Jaraguá do Sul “Que fique bem claro que a empresa está  fazendo isso só pensando nos funcionários, para que possamos receber e encaminhar o seguro-desemprego enquanto a produção está parada”, disse uma funcionária que não quis se identificar, mas que reforça que o grupo continua unido e confiante como uma verdadeira família. Ela acredita que esta situação seja provisória e também torce para que logo o sócio-proprietário Normélio Peccin Filho, preso durante a operação em Jaraguá do Sul, seja liberado. Ainda na quinta-feira (23), os funcionários, temerosos de perderem seus postos de trabalho, fizeram uma mobilização de apoio à empresa, onde reafirmaram sua confiança no processo de produção.