A Polícia Civil de Santa Catarina, através da 5ª Delegacia de Polícia da Capital, identificou uma organização criminosa formada por estelionatários que agia em diversos estados, aplicando o golpe do “motoboy”.

Em Santa Catarina, eles agiram principalmente em Florianópolis e Balneário Camboriú.

No golpe, uma das autoras se passa por telefonista de uma instituição financeira e entra em contato com as vítimas, geralmente idosos, informando que seus cartões de crédito haviam sido clonados. Em seguida, outro criminoso se passa por funcionário da instituição bancária e deslocava-se até a residência da vítima para coletar o cartão. A partir daí eram realizadas inúmeras compras em estabelecimentos ou os cartões eram passados em máquinas de cartão dos próprios criminosos.

Movimento de R$ 2 mi

 

Somente em dois meses, um dos integrantes da organização movimentou mais de R$ 2 milhões em apenas uma das diversas contas que possuía. Os autores são jovens de classe média e são considerados foragidos.

A investigação iniciou-se em dezembro de 2020, com a prisão em flagrante de um dos coletores de cartão em um edifício de luxo, em Florianópolis.

Após meses de diligências, foi possível qualificar os principais membros e representar pelas respectivas prisões preventivas, bloqueio de ativos financeiros e outras medidas cautelares, que foram deferidas pelo Poder Judiciário.

Houve o apoio do Laboratório de Lavagem de Dinheiro da DEIC/PCSC.