Dois homens foram presos na noite desta quarta-feira (16) por suspeita de furtar petróleo em Garuva, na região Norte de Santa Catarina. Fábio Ferreira Mota Santos, de 33 anos, e Anderson Pereira da Silva, de 38 anos, foram detidos pela Polícia Militar e conduzidos para a Delegacia de Garuva.

Dois suspeitos foram conduzidos para a Delegacia de Garuva | Foto Divulgação

O crime foi descoberto após funcionários da Transpetro perceberem mudança de pressão na tubulação que passa naquela região. Técnicos da empresa resolveram averiguar a situação e descobriram a ação criminosa na localidade de Sol Nascente, em uma rua às margens da rodovia que liga a região ao Porto de Itapoá.

Segundo a polícia, os dois suspeitos alugaram uma casa de madeira próximo ao local onde cometeram os furtos. Os equipamentos sofisticados - incluindo uma "trepanadora" para furar tubo - surpreenderam os funcionários da empresa e a polícia. A dupla chegou a aterrar um caminho para os caminhões terem acesso e possibilitar o furto.

Equipamento usado para furar tubos de petróleo | Foto Divulgação/OCP

Policiais militares e a equipe da Transpetro, além do secretário de Meio Ambiente de Garuva, constataram que os criminosos agiram às escondidas. Eles fizeram escavações, colocaram os tubos e ainda cobriram tudo com terra e mato para ninguém notar. A comunidade local relatou que percebeu a movimentação de caminhões, mas não chegou a desconfiar da situação.

Os moradores pensaram que os dois homens estavam trabalhando em um terreno na chácara. O local é bastante isolado e, segundo os relatos, o transporte feito com os caminhões ocorria, na maioria das vezes, durante o período noturno.

Vestígios da ação criminosa encontrados pela polícia | Foto Divulgação/OCP

A suspeita é de que os homens seriam ex-funcionários de uma refinadora de petróleo e estariam agindo na localidade desde janeiro deste ano. De acordo com informações passadas para a Rede OCP News, ambos são do Rio de Janeiro, negaram que cometeram o crime e chegaram a dizer que foram contratados para ajudar caminhões a entrar na localidade. A PM prendeu a dupla e apreendeu os materiais suspeitos.

Segundo a análise inicial da secretaria de Meio Ambiente de Garuva, não houve vazamento de petróleo que causasse prejuízos ao meio ambiente. Equipes da Defesa Civil e da perícia devem se deslocar até a localidade na manhã desta quinta-feira (17) para apurar mais detalhes e investigar o fato.

Casa usada como esconderijo pelos suspeitos | Foto Divulgação