Um caminhão invadiu uma ciclovia no sul de Manhattan, em Nova Iorque, na tarde desta terça-feira (31), atropelando várias pessoas. Oito pessoas, cinco delas argentinas, morreram e pelo menos onze ficaram feridas. O prefeito Bill de Blasio, classificou o caso como um "ato covarde de terror". Já o governador Andrew Cuomo afirmou que não há evidências de um plano maior. Após atingir os ciclistas, o caminhão seguiu pela rua e bateu num ônibus escolar. O suspeito saiu do veículo gritando e portando uma arma de paintball e outra de ar comprimido, sendo em seguida alvejado pela polícia e detido. O jornalista da CNN Jim Sciutto afirma, segundo "múltiplas fontes", que o suspeito gritou "Allahu Akhbar" (Deus é Grande, em árabe). A imprensa americana o identificou como Sayfullo Saipov, um homem de 29 anos originário do Uzbequistão, que teria dois endereços nos EUA -- um na Flórida e outro em Nova Jersey. Uma fonte da rede CBS disse que ele teria deixado um bilhete perto ou dentro do caminhão com referências ao Estado Islâmico. Seis pessoas morreram no local e duas foram declaradas mortas ao chegarem ao hospital. Onze pessoas feridas foram transportadas para receber atendimento médico, mas é possível que existam outras vítimas que deixaram o local por conta própria, afirmou o chefe de polícia. Com informações do G1