Reportagem de Dyovana Koiwaski para o jornal O Correio do Povo. O retorno das aulas na rede estadual na próxima segunda-feira (13) está preocupando a direção da escola Professor João Romário Moreira, no bairro Rio Cerro II. A instituição está localizada na estrada JGS 493, que vem recebendo serviços de pavimentação há cerca de 60 dias. As obras, a cargo da Paviplan Pavimentações, estão paralisadas e vêm causando transtornos para a comunidade local. Assistente de direção da escola, Pedro Daniel dos Santos relata que apenas os serviços de tubulação foram executados até o momento. As novas bocas de lobo instaladas estão acima do nível da rua. “Desde dezembro, quando chove, a água se espalha pela rua e chega a entrar na escola antes de atingir os bueiros, que, além de elevados, estão entupidos”, observa Santos. O acesso à instituição de ensino, assim como o trânsito na rua, também está prejudicado. A via está coberta de cascalho e, além disso, partes da calçada na entrada da escola foram quebradas, conforme a diretora Liane Reinke. “Os pais estão preocupados com a situação e nos cobram ações resolutivas. Já entramos em contato com a empresa e com a Prefeitura para arrumarem, mas, não foi apresentada nenhuma proposta”, comenta a diretora. A rua, além de ter o fluxo de veículos dos moradores, é acessada pelos pais dos alunos e carros de transporte escolar. A instituição tem 500 estudantes e atende nos três turnos. “Se nada for feito, pensamos em bancar, com recursos da APP (Associação de Pais e Professores), pelo menos o conserto da calçada na entrada”, afirma a diretora. Na pavimentação da JGS, são investidos R$ 247.403 mil, através de convênio com o Badesc. Após uma reunião na manhã de ontem (9) com a Paviplan, o diretor da secretaria de Obras e Serviços Públicos, Ivan Wolter, garantiu que estará durante o dia de hoje na localidade para averiguar os serviços necessários. O acesso deve ser refeito até a semana que vem. Segundo o secretário do setor, Onésimo Sell, as obras estão paralisadas porque a Prefeitura busca aprovação de repasses junto ao Badesc para extensão da pavimentação em 70 metros. O retorno do pedido deve sair nos próximos dias. “Sabemos que os transtornos estão além do esperado, mas o resultado trará benefícios à população”, declara Wolter. Sobre as bocas de lobo elevadas, o secretário explica que a obra ainda está em sua fase inicial e o asfalto deve ficar no mesmo nível até a conclusão.