O Observatório de Vacinação da OAB/SC, em apenas um mês de funcionamento, recebeu 28 denúncias de irregularidades no processo de distribuição e aplicação de vacinas contra a Covid-19 no Estado. Desse total, 18 foram de casos de furar-filas, sendo três considerados casos gravíssimos.

A maior parte das denúncias foi recebida pela Coordenadoria-Regional de Florianópolis, com 9 casos em investigação.

O presidente da Seccional, Rafael Horn, destacou a importância da elaboração do portal da transparência para controle social da aplicação e distribuição das doses em Santa Catarina. “A OAB/SC, como porta-voz da sociedade civil, busca medidas que tragam mais tranquilidade para a população. O portal da transparência permitirá o controle social através do acesso à informação”, reforçou.

 

 

Sobre as denúncias fornecidas pela população, segundo o coordenador do Observatório de Vacinação da OAB/SC e presidente da Comissão de Direito da Saúde, Wilson Campos, além das 9 de Florianópolis, a regional de Criciúma teve sete, e as Coordenadorias de Joinville e Itajaí quatro em cada uma.

Próximos passos

As denúncias do Observatório de Vacinação da OAB/SC estão sendo apuradas e investigadas para o encaminhamento à Secretaria Estadual de Saúde e ao Ministério Público. No mesmo documento, a OAB Santa Catarina também vai requerer esclarecimentos sobre os critérios de aplicação das vacinas, que agora entra na fase de pessoas com comorbidades.