Na manhã desta sexta-feira (14), por volta de 9h, um grupo de cerca de 10 presos renderam dois agentes penitenciários da unidade. O fato aconteceu na galeria H, localizada na área externa ao pavilhão principal.

As negociações iniciaram ainda pela manhã e, para conversar com a polícia, os envolvidos exigiram a presença da OAB Criciúma.

Assim que a instituição teve conhecimento dos fatos, enviou três representantes de imediato ao local: o conselheiro e Coordenador Geral das Comissões da subseção, Marco Antônio Colombi Zappelini, e o presidente e o vice-presidente da Comissão de Assuntos Prisionais e Segurança Pública, Diomar Gilberto de Souza Jr. e Antônio Salfer.

Por meio da OAB Criciúma foi possível estabelecer os contatos e as tratativas que culminaram no acordo de rendição dos presos. Segundo Marco Antônio Colombi Zappelini, a pronta resposta da instituição – aliada à sua força e histórico – tornou possível a solução pacífica. Sendo de extrema importância a ida ao local para a resolução do caso.

De acordo com Diomar Gilberto de Souza, a situação era difícil e delicada.

"A OAB Criciúma se colocou à disposição para intermediar e solucionar o conflito, anotamos o que os presos queriam, garantimos suas integridades e conversamos com os reclusos", pontua Diomar.

Já para Antônio Salfer, que também esteve presente nas negociações, esta era uma situação de crise, com vidas em jogo e a instituição soube agir de forma a evitar maiores danos.

A operação mobilizou órgãos policiais de diversas partes do estado. O tenente-coronel Cristian Dimitri Andrade reforça que a crise foi solucionada com sucesso e os reféns foram liberados ilesos.

Além disso, para a operação, a equipe de negociações do Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE), da capital, veio para Criciúma.

"Tivemos o apoio essencial de advogados da OAB Criciúma que intermediaram junto à equipe de negociações um protocolo oficializado, que constava as intenções de condições para a liberação dos reféns e a finalização da ocorrência", relata Dimitri.

Com o desfecho da rebelião na Penitenciária Sul, o presidente da OAB Criciúma, Rafael Búrigo Serafim, pontua sobre a importância da união de forças para encontrar a resolução do fato.

"A atuação da OAB Criciúma nesse caso, demonstra a grandiosidade da instituição e de seus membros. Um momento em que vidas estavam em jogo e a atuação de seus representantes no local trouxe a estabilidade necessária para que nenhuma vida fosse perdida", conclui o presidente.