A DIC (Divisão de Investigação Criminal) de Jaraguá do Sul investiga a morte de um jovem atropelado por um trem.

O caso está sendo tratado inicialmente como suicídio, mas é preciso descartar a possibilidade de que um crime antecedeu o acidente.

"A hipótese inicial é de suicídio, mas estamos fazendo essa investigação preliminar. Nós queremos confirmar se realmente foi um suicídio ou houve algum crime precedente, se tentaram esconder esse delito com um pseudo suicídio", afirma o delegado titular da DIC, Daniel Dias.

Maurício Alan Pencin, de 22 anos, foi atingido pela locomotiva na madrugada do último domingo (17).

O acidente aconteceu na avenida Prefeito Waldemar Grubba, no bairro Centenário.

O maquinista relatou que percebeu uma pessoa deitada no trilho e freou a composição e o acionamento da buzina.

Porém, o trem não parou a tempo e acabou passando por cima da vítima.

A reportagem do OCP apurou que o jovem estava deitado em posição fetal no trilho.

Durante a aproximação da composição, ele chegou a levantar a cabeça e olhar para o trem, mas abaixou logo em seguida.

Maurício foi arrastado por cerca de dez metros e acabou tendo a perna direita amputada.

A vítima tinha uma prótese de ferro no fêmur que ficou aparente após o atropelamento.

O jovem ainda estava vivo quando os bombeiros voluntários chegaram no local, mas ele entrou em parada cardiorrespiratória.

A Unidade de Suporte Avançado do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) foi chamada.

Apesar dos esforços das equipes, a vítima não resistiu ao grave ferimento.

O óbito foi confirmado pelo médico do Samu no local da ocorrência.

A Polícia Científica foi chamada para fazer a perícia e a remoção do corpo do local para o IML (Instituto Médico Legal).

Dias, conta que Maurício era de Cantagalo, no Paraná.

Ele tinha uma passagem por agressão contra a madrasta no contexto da Lei Maria da Penha. Ele também foi detido por posse de drogas.

Apesar da causa da morte de Maurício ser a amputação da perna, o médico legista encontrou lesões que podem ter ocorrido antes do atropelamento.

A partir dessa informação, Dias não descarta que outra situação possa ter ocorrido antes do jovem ter sido atingido pelo trem.

"Existiam lesões um pouco mais antigas na cabeça. Então, a gente vai apurar se isso não tem alguma relação com o fato em si ou se isso foi determinante para ele ter ficado ali parado no trilho do trem. A causa da morte foi o sangramento massivo causado pela amputação da perna. Mas é uma situação um pouco suspeita, porque o maquinista confirmou que ele mexeu a cabeça antes do trem atropelar", ressalta Dias.

Receba no seu WhatsApp somente notícias sobre segurança pública da região (acidentes de trânsito , ações policiais):

Whatsapp

Grupo OCP Segurança

Telegram

OCP Segurança