O número de multas registradas em Jaraguá do Sul está caindo. No primeiro trimestre deste ano, a redução foi de mais de 30%. Enquanto entre janeiro e março de 2017, foram contabilizadas 24.272 notificações, no mesmo período de 2018 o número reduziu para foram registradas 18.358, de acordo com dados disponibilizados pela Diretoria de Trânsito da Prefeitura de Jaraguá do Sul.

O diretor de Trânsito, Irio Riegel, afirma que três fatores podem explicar a queda no número de multas aplicadas na cidade. “O primeiro deles é a retirada dos radares de 40 quilômetros por hora e posterior substituição pelas faixas elevadas. O segundo é o aumento no valor das multas de trânsito. O terceiro fator é uma maior conscientização dos motoristas quanto ao comportamento e respeito às leis do trânsito”, comenta o diretor.

Apesar da queda no número de multas aplicadas por fotosensores e pela Polícia Militar, o faturamento com as multas está maior. Em 2016, foram arrecadados R$ 10,3 milhões contra R$ 13,1 milhões, ou seja, um aumento de 27,6%. Analisando o número de multas aplicadas nesse período, também houve queda, de quase 28%. Ou seja, foram menos multas, mas a arrecadação aumentou.

Esse crescimento é um pouco menor se forem comparados os três primeiros meses deste ano e do ano passado. No primeiro trimestre de 2018, foram arrecadados R$ 2,5 milhões, contra R$ 2,1 milhões nos três primeiros meses do ano passado, um incremento de 18,84%.

O aumento da arrecadação é explicado pelo valor mais alto das multas. Em novembro 2016, houve um reajuste de 66% nas multas leves, 52% nas médias e graves e de 53% do valor nas multas gravíssimas.

Fiscalização é necessária, defende Prefeitura

De acordo com o diretor de Trânsito, Irio Riegel, uma fiscalização efetiva no trânsito da cidade é cada vez mais importante. Com cerca de 1,46 veículos por habitante, a cidade sofre com os efeitos do excesso de veículos, principalmente nos horários de pico. “Se o número de multas está caindo, é porque todo mundo está andando direitinho e o trânsito está funcionando melhor. O nosso objetivo não é multar os motoristas, mas sim fazer com que o trânsito funcione. Se o pessoal está levando menos multas, é porque está andando na linha”, destaca, ao ressaltar que intervenções no trânsito da cidade custam caro.

“Jaraguá do Sul cresceu desordenadamente e nada foi planejado. Hoje, para a gente fazer uma grande mudança, o custo é altíssimo, envolve indenizações. Nós temos o trilho de trem que passa no meio do Centro da cidade, outros dois rios que passam no meio da nossa cidade. Não é fácil. E o nosso relevo cheio de morros é um complemento. Mas existem projetos que foram encaminhados e a gente está dependendo da vinda do financiamento. Além do projeto para asfaltar 39 ruas, existem outros projetos para a construção de pontes e construção de ruas projetadas”, finaliza.