Jaraguá do Sul registrou seis homicídios durante 2019, o mesmo contabilizado em 2018. As autoridades de segurança pública consideram o balanço positivo, pois o número de assassinatos é considerado baixo em comparação aos índices apresentados no país.

Se for considerado a população estimada de 177.697, Jaraguá do Sul mantém a taxa de 3,3 homicídios a cada 100 mil habitantes. De acordo com o Anuário Brasileiro de Segurança Pública, a taxa nacional de homicídios a cada 100 mil habitantes é de 27,5.

O comandante do 14º Batalhão de Polícia Militar, tenente-coronel Márcio Leandro Reisdorfer, comenta que a motivação dos crimes mudou. Em 2018, foram registrados quatro homicídios no ambiente doméstico, dois deles feminicídios, e outros dois ligados ao tráfico.

“Neste ano, a gente computa seis menos um, pois uma das mortes ocorreu no embate de um cidadão infrator contra uma guarnição da Polícia Militar. Dois deles ocorreram após brigas, um deles dentro de um apartamento, e outros três estão ligados ao tráfico de drogas”, afirma Reisdorfer.

O tenente-coronel destaca a Polícia Militar combateu fortemente a venda de drogas em Jaraguá do Sul no ano passado. Ele afirma que 2019 foi o ano em que a PM mais apreendeu drogas e desbaratou quadrilhas de tráfico no município. Reisdorfer lembra que esse trabalho vai continuar em 2020.

“Nós vemos o tráfico de drogas como um mal para a sociedade. As apreensões de drogas cresceram sobremaneira e nós vamos continuar a bater em cima dessa questão. A partir do momento em que você começa a trabalhar em cima desse crime, acabam ocorrendo alguns efeitos colaterais”, sintetiza.

Apenas um homicídio sem solução

Apenas um dos homicídios ocorrido em Jaraguá do Sul não foi solucionado. A morte ocorreu no bairro Tifa Aurora, no dia 12 de outubro. O delegado regional Fabiano dos Santos Silveira lembra que a Divisão de Investigação Criminal (DIC) trabalha na elucidação do assassinato.

“Nós registramos cinco homicídios, o último ainda está em fase de investigação e os demais foram solucionados. Ainda tivemos aquela morte em decorrência de um confronto com a Polícia Militar. Foi uma situação legítima por parte da PM, uma ação contra um meliante que estava armado e teria reagido a uma abordagem”, comenta Fabiano.

Fabiano também acredita que o número de assassinatos ocorrido em 2019 é positivo, pois está no mesmo patamar dos números apresentados nos anos anteriores. Em 2020, a previsão é de um reforço na equipe de investigação da DIC.

 

Receba no seu WhatsApp somente notícias sobre Segurança Pública da região (Trânsito, Operações Policiais. etc...):

Telegram