"Nós temos que encontrar o Allan hoje." A esperança de encontrar o filho, o taxista Allan Tietz, 24 anos, com vida, é o que vem movendo o também taxista Nelson Tietz na jornada que já chega a 48 horas. Nas buscas ao filho, ele conta com o apoio de outros colegas taxistas e policiais civis e militares, incluindo cães do canil da PM. Allan desapareceu no fim da tarde de quarta-feira (22), quando saiu de casa, no bairro Três Rios do Sul, em Jaraguá do Sul, no Norte catarinense, para realizar uma corrida com duas pessoas até Curitiba. Segundo o pai, o cliente pediu um desconto especial, porque era uma pessoa humilde e precisava ir a um velório. Segundo informações da família, ele saiu de casa por volta das 17 horas e não retornou e não atende mais o celular. Sua última mensagem no WhatsApp foi registrada às 16h45. A polícia suspeita que ele tenha sido vítima de latrocínio, já que seu veículo, um Renault Logan, foi encontrado em Curitiba, sem as rodas e sem o aparelho de som,  e com marcas de sangue perto da porta do motorista. Também foi apurado que os suspeitos têm conhecidos na região de Garuva e têm passagens pela polícia da região. O delegado responsável pelo caso, Eric Issao Uratani, trabalha com a hipótese de que Allan tenha sido vítima de latrocínio ou tentativa de latrocínio. O carro já passou por perícia e foi entregue à família. Na tentativa de localizar o motorista - a família acredita que ele possa estar amarrado e jogado em algum matagal -, a Polícia Civil tenta também rastrear o celular do motorista, que aponta para algum ponto na região de Pirabeiraba, o que leva a polícia a crer que Allan nem tenha passado de Garuva. Buscas aos hospitais também foram feitas, na tentativa de localizar o taxista, mas nenhuma pista ainda foi encontrada. Ainda na tarde desta sexta, o taxista Eder, amigo da família, gravou um áudio informando que se encontrava com o pai de Allan e a polícia no Hospital São José, de Joinville. Ele disse que foi constatado que o carro seguiu pela BR-280 até a BR-101, e não pela Rodovia do Arroz, como inicialmente cogitado. "O crime deve ter ocorrido entre às 18h30 e às 22h, aproximadamente", observa Eder.
Allan Tietz saiu de casa para uma corrida a Curitiba e desapareceu | Foto Divulgação/OCP
Na tarde desta sexta, novas buscas estão sendo realizadas em Pirabeiraba e em Garuva. Os amigos de Allan afirmam que o carro dele foi visto por volta das 20h em uma sorveteria em Garuva, mas já sem ele. Então, eles acreditam que ele desapareceu entre as 18h e 20h de quarta, entre Joinville e Garuva, pois familiares informam que as câmeras de monitoramento do pedágio de Garuva mostram apenas dois rapazes dentro do carro. “Muitas pessoas estão mobilizadas nas buscas. Além dos taxistas de Jaraguá do Sul e Joinville, há muitos voluntários, pessoas que eu nem conheço. Nós vamos agora de tarde para Garuva e Pirabeiraba para encontrar o meu filho. Até o Canil da Polícia Militar deve ser empenhado. Nós temos que encontrar o Allan hoje”, comenta Nelson, ao ressaltar que o celular do filho deu a última localização naquela região. A casa onde moravam os suspeitos está desocupada. Informações podem ser repassadas para os números (47) 9 9977-7750 com Nelson Tietz, 190 da Polícia Militar e 181 da Polícia Civil. LEIA MAIS: - Pai busca taxista desaparecido, mas só encontra o carro dele em Curitiba