Mulher é presa com pistola e R$ 69 mil durante operação do Gaeco em Jaraguá do Sul

Foto: 14º BPM/Divulgação

Por: Claudio Costa

19/09/2023 - 12:09 - Atualizada em: 19/09/2023 - 12:53

Uma mulher, de 19 anos, foi presa no âmbito da Operação Alquimia em Jaraguá do Sul.

O mandado de prisão foi cumprido pela Polícia Militar na manhã desta terça-feira (19).

De acordo com a PM, a ordem judicial foi cumprida às 6h17.

Os policiais militares foram até uma residência na rua Dayana Juceli de Souza, no bairro Jaraguá Esquerdo.

Na casa, eles encontraram um homem, de 46 anos.

A guarnição apreendeu duas buchas de cocaína e uma balança de precisão.

Ele foi liberado após assinar um termo circunstanciado.

Em outra casa, a mulher alvo do mandado de prisão foi localizada.

Nas buscas, os PMs apreenderam uma pistola calibre .380 com nove munições, anotações sobre o tráfico de drogas, cartas referentes ao crime organizado, R$ 69 mil, celulares e drogas.

A mulher foi encaminhada pelos policiais militares para a sede do Ministério Público de Santa Catarina.

O Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado) do Ministério Público de Santa Catarina deflagrou a ação em apoio à Promotoria de Justiça de Presidente Getúlio e à Agência de Inteligência da Polícia Militar de Santa Catarina.

Estão sendo cumpridos 13 mandados de busca e apreensão e 10 mandados de prisão expedidos pelo Poder Judiciário da Comarca de Presidente Getúlio a pedido do Ministério Público de Santa Catarina.

A investigação, que iniciou em junho deste ano por meio de um procedimento investigatório criminal, impulsionado por um relatório técnico operacional da Polícia Militar de Santa Catarina.

Os documentos revelaram elementos que caracterizariam os crimes de lavagem de dinheiro e tráfico de drogas.

Foram obtidas informações e elementos probatórios que demonstram que os investigados estão envolvidos com diversas práticas criminosas, como furtos de veículos, posse de armas de fogo, produção e venda de drogas, lavagem de capitais e integrar organização criminosa.

O grupo criminoso obtinha lucros expressivos com a produção de drogas sintéticas em larga escala.

A investigação também apura o alcance da distribuição dos entorpecentes, que tinham como destino a distribuição nos estados do sul do Brasil.

Ainda, em sua operação, os integrantes do grupo criminoso utilizavam empresas de fachada para compra e venda de imóveis e adquiriam veículos de luxo para exercer lavagem de dinheiro.

Em Santa Catarina, diligências foram realizadas em Jaraguá do Sul, Joinville, Meleiro, Ermo, Araranguá e São José do Cerrito. No Paraná, em Rio Negro.

 

Notícias no celular

Whatsapp

Claudio Costa

Jornalista pós-graduado em investigação criminal e psicologia forense e pós-graduando em perícia criminal.