Moradores da Vila Freitas reclamaram dos saques | Foto Eduardo Montecino/Arquivo OCP
Moradores da Vila Freitas reclamaram dos saques | Foto Eduardo Montecino/Arquivo OCP

Após denúncia recebida por meio do telefone 190 na Central Regional de Emergências da Polícia Militar, uma jovem de 25 anos foi detida suspeita de saquear as casas atingidas por um desmoronamento na Vila Freitas, em Guaramirim.

A Polícia Militar registrou o crime às 21h30 de sexta-feira (22), na rua Izidio Roberto de Freitas, às margens da SC-108. Segundo testemunhas, a mulher teria invadido as residências interditadas e subtraído vários objetos.

Ao ser confrontada pela PM, a suspeita negou que cometeu o crime, porém sua mãe informou aos policiais que diversos objetos furtados dos escombros estariam em sua residência.

Os policiais foram até a casa da mãe da jovem. Lá, os objetos furtados do local do desastre foram entregues e a jovem recebeu voz de prisão. Neste momento, segundo a PM, a suspeita começou a se debater, dar chutes e socos nos policiais para tentar se desvencilhar e evitar ser presa.

A PM informou que foi necessário o apoio de outra guarnição para algemá-la. A suspeita foi levada à Delegacia de Polícia para responder pelo furto.

PM afirma que está atenta para a questão dos saques| Foto Eduardo Montecino/OCP News

Moradores procuraram o OCP para reclamar de saques na Vila Freitas

Na semana passada, moradores da Vila Freitas, em Guaramirim, reclamaram dos saques que estão sendo cometidos após o desmoronamento ocorrido no início da semana. Utensílios domésticos, fiação de energia, partes das residências e outros itens são furtados das dez residências atingidas.

O local em que estão as residências foi interditado pela Defesa Civil de Guaramirim e os 45 desabrigados estão na casa de parentes ou no abrigo que foi aberto pela Prefeitura. Filho de uma das vítimas, Marcelo Schafranski, 23 anos, procurou a equipe da Rede OCP News para fazer a denúncia.

“Você vê o pessoal saqueando, a polícia vem e tira, mas depois estão ali de volta. A vida do pessoal já está difícil e esse pessoal vem levar o pouco que sobrou. Eles tiram tudo”, comenta Marcelo.

Local em que estão as residências foi interditado pela Defesa Civil de Guaramirim | Foto Eduardo Montecino/OCP News

Trabalhador da construção civil, Leandro Schiller, 35 anos, deixou de trabalhar para ficar ao lado da casa. Segundo ele, os moradores estão guardando as casas durante a noite para evitar os furtos.

“Está acontecendo direto. A gente já pediu pra polícia pra resolver isso. Precisava de mais rondas, porque eles estão furtando durante a madrugada. Coitadas dessas pessoas. Além de perderem tudo, ontem estavam levando os pratos da casa” , conta Leandro.

O comandante da 2ª Companhia do 14º Batalhão de Polícia Militar, capitão Edson de Jesus Silva, explica que não há como disponibilizar uma viatura exclusiva para ficar naquela comunidade. Apesar disso, a PM está atenta para a questão.

“A gente não pode destinar uma viatura para ficar apenas em um lugar. A Polícia Militar está dando uma atenção especial para o local e reforçou as rondas na Vila Freitas. Dentro da rotina de policiamento, quando há tempo disponível, vão até lá e fazem rondas”, explica.

Quer receber as notícias no WhatsApp?