MPSC denuncia 11 pessoas por envolvimento em assalto a banco em Timbó Grande

Foto: Reprodução Redes Sociais

Por: Claudio Costa

03/10/2023 - 08:10 - Atualizada em: 03/10/2023 - 08:31

O MPSC (Ministério Público de Santa Catarina) denunciou 11 pessoas pela participação em um assalto a uma agência do Banco do Brasil de Timbó Grande em 2 de junho deste ano.

O episódio teve funcionários rendidos, dinheiro e objetos roubados, um carro incendiado e outro subtraído, tiros trocados com a polícia e pessoas mantidas reféns.

A Justiça já recebeu a denúncia e eles se tornaram réus no processo.

A ação penal assinada pelo Promotor de Justiça André Ghiggi Caetano da Silva cita os crimes de roubo mediante grave ameaça, incêndio expondo vidas ao perigo e organização criminosa.

“Esse fato abalou o município de Timbó Grande, atingindo várias pessoas, e os autores precisam arcar com as consequências”, diz o titular da Comarca de Santa Cecília.

Entre os réus estão sete homens e quatro mulheres com idades entre 23 e 59 anos.

A lista inclui uma família com pai, mãe e filho. Acredita-se que outras pessoas ainda não identificadas também participaram da ação.

Segundo as investigações, o grupo planejou o crime dividindo tarefas.

Três integrantes da organização chegaram à agência por volta das 14h20 fortemente armados, renderam os vigilantes e anunciaram o assalto, fazendo graves ameaças.

Enquanto isso, os demais monitoravam as redondezas.

Eles subtraíram R$ 291 mil dos caixas e terminais eletrônicos, um revólver, um celular e um colete balístico, e ainda tentaram abrir o cofre, mas foram inibidos pela chegada da Polícia Militar.

Houve troca de tiros e os réus incendiaram um Fiat Pálio na frente do banco, colocando muitas vidas em risco. Alguns clientes foram usados como escudo humano.

Por fim, o trio roubou o Toyota Etios de um funcionário da agência, fugiu levando dois reféns, despistou as viaturas, libertou os reféns no caminho e foi a um sítio com o dinheiro e os objetos roubados para encontrar outros integrantes da organização.

O crime começou a ser desvendado naquela mesma noite, em uma barreira policial.

Durante a abordagem a um Vectra, os agentes encontraram “miguelitos” para furar pneus idênticos aos lançados na fuga. As duas ocupantes do veículo foram presas iniciaram-se as investigações.

“As provas coletadas até o momento apontaram a participação dessas 11 pessoas, mas outras podem vir a ser identificadas à medida que as investigações avançarem”, conclui o Promotor de Justiça.