Motorista que bateu Porsche a 260 km/h é autuado por homicídio culposo

Foto: Reprodução TV Globo

Por: Claudio Costa

13/12/2023 - 06:12 - Atualizada em: 13/12/2023 - 06:48

A Polícia Civil de Minas Gerais autuou em flagrante por homicídio culposo um motorista, de 32 anos, que provocou um acidente em Belo Horizonte.

O homem estava conduzindo um Porsche 911 Carrera a 260 quilômetros por hora na avenida Barão Homem de Melo, no bairro Estoril, região Oeste da capital mineira, na madrugada desta segunda-feira (11). O passageiro do veículo, de 32 anos, morreu no local.

Com base nos primeiros levantamentos, o coordenador da Central Estadual do Plantão Digital, delegado Marcos Pimenta, explicou a dinâmica do acidente.

“O homem perdeu a direção do veículo, vindo a chocá-lo contra um poste, provocando o arremesso de seu amigo, que estava no banco do carona, o qual veio a óbito”, disse.

Na ocasião, o suspeito foi detido pela Polícia Militar no local dos fatos e encaminhado a uma unidade de saúde. Após receber alta médica, o homem seguiu para a Delegacia de Plantão.

O delegado Filype Utsch contou que o motorista, acompanhado de dois advogados, permaneceu calado durante o depoimento e se recusou a fazer o teste do etilômetro.

Ainda de acordo com Felipe, o crime teve como agravantes a condição de embriaguez do suspeito (constatada pelos policiais) e a inabilitação para a condução de veículo automotor, visto que ele estava com a habilitação cassada desde 2011.

“Ele entrou com processo de 1º habilitação em 2011 e obteve a permissionária (direito de dirigir por um ano). Nesse período, como ele teve uma infração gravíssima, não pode ser habilitado com uma permanente e, desde então, não está apto a conduzir veículo automotor”, acrescentou o delegado Marcos Pimenta.

Após ter a prisão ratificada, o suspeito continuou a reclamar de dores e, por esse motivo, foi levado a uma unidade de saúde sob escolta policial. Depois de receber alta, ele foi encaminhado para o sistema prisional.

 

 

 

 

 

Notícias no celular

Whatsapp

Claudio Costa

Jornalista pós-graduado em investigação criminal e psicologia forense e pós-graduando em perícia criminal.