Um macaco-prego foi encontrado morto no bairro Vila Nova por um ciclista que avistou o animal enquanto passava pelo local. Exames da Dive (Diretoria de Vigilância Epidemiológica) desta quarta-feira (14) confirmam que o macaco morreu vítima de febre amarela.

Seria o quinto registrado pelo estado, e o quarto somente na região Norte Catarinense. Um dos sintomas de que a febre está presente no local é a morte de macacos de qualquer espécie, sendo os mais comuns bugios e macacos-prego.

Mesmo com a morte de macacos sinalizando de que a doença está pela região, é um erro associar isso à teoria de que são os primatas que transmitem a doença, quando na verdade, são os insetos que transmitem a febre. As mortes de macacos pela doença significam que existem insetos que portam o vírus próximos ao local.

Duas pessoas vítimas da febre já morreram este ano. Um homem que 40 anos, morador de Itaiópolis, e outro de 36 anos, morador de Joinville. Nenhum dos dois homens havia se vacinado, e segundo informações da Dive, os dois contraíram as doenças dentro do estado.

A Secretaria da Saúde solicita que as pessoas que ainda não se vacinaram busquem a vacina nas unidades básicas de saúde mais próximas de suas casas. Uma dose já é o suficiente para se proteger por toda a vida.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram

Facebook Messenger