Segundo informações da Rádio Centro-Oeste de Pinhalzinho, cidade onde o jovem que assassinou cinco pessoas em uma creche nesta manhã (4) está internado, a Polícia Militar teve que fazer escolta porque moradores tentaram invadir o hospital.

De acordo com a PM, o jovem tentou tirar a própria vida depois do crime. Ele foi socorrido pelos bombeiros militares e levado para o Hospital Beneficente de Pinhalzinho em estado gravíssimo.

Assim que chegaram com ele no hospital, moradores cercaram o local e ameaçaram invadir a unidade. A polícia foi acionada e controlou a situação.

De acordo com o diretor administrativo do hospital, Silvio Mocelin, o protesto reuniu 20 pessoas em frente à unidade de saúde.

"O hospital teve que ser protegido. Equipes do grupo tático da Polícia Militar, do Corpo de Bombeiros e da Polícia Civil estão posicionados na entrada do hospita", disse Mocelin à rádio Centro-Oeste.

O diretor informou que ele será transferido ainda na tarde desta terça-feira (4), porque o hospital não tem a estrutura necessária para lidar com quadros graves de saúde. Uma viatura do Samu vai levá-lo para Chapecó com escolta dos policiais.