Cerca de 50 moradores do bairro São Marcos, participaram na noite de segunda-feira (20), da audiência pública da Comissão de Proteção Civil e Segurança Pública da Câmara de Vereadores de Joinville. O evento foi na Escola Municipal Paul Harris, no bairro São Marcos. Os moradores pediram por mais policiamento ostensivo e mais efetivo policial, alegando que no bairro são feitas pouquíssimas rondas, e a violência está grande, sem falar no número de jovens que consomem drogas nas proximidades da escola. Morador e membro da Associação dos Moradores do bairro, Marco Aurélio reclamou a ausência dos cinco deputados do estado e até mandou um recado: "Ano que vem vocês vão vir aqui pedir voto, e eu vou tratá-los com carinho", disse, ironicamente. Por fazer parte da Associação dos Moradores do bairro São Marcos, através do grupo de WhatsApp com mais 200 membros, durante a audiência cobrava as reclamações dos moradores. Também presente na audiência, o capitão Gabriel fez um comparativo entre as cidades de Joinville e de Jaraguá do Sul. "Enquanto Joinville está vivendo esta violência, Jaraguá do Sul se destaca entre as cidades mais seguras do País. A diferença entre Joinville e Jaraguá está nos recursos. Aqui nós trabalhamos com migalhas, e em Jaraguá a comunidade está unida por recursos e mais efetivo. Joinville vai conseguir mais efetivo com a união da comunidade e do empresariado", disse. O policial falou, também, que a região do São Marcos é atendida apenas por uma viatura que cuida também de mais três bairros, totalizando quatro. Estatisticamente o bairro São Marcos é o mais seguro. "Mas se a comunidade precisar deve ligar para a base pedindo mais viaturas para as rondas que eles irão atender, se não elas vão dar prioridade as comunidades com crimes mais sérios", disse. Mais uma vez o vereador e presidente da Comissão de Proteção Civil e Segurança Pública, vereador Richard Harrison (PMDB) reclamou da ausência de membros da segurança pública do estado e do município. "Incansavelmente temos feito o convite, tanto para o secretário do Estado, como do Município. Nessas dez audiências, ninguém compareceu. Mas não vamos desistir, nossa comunidade precisa ser ouvida e nossos policiais têm feito muito com o pouco que tem", disse Richard. O policial civil Francisco Dorneles, que representou a delegada Regional Tânia Harada, falou que Joinville é a maior cidade do Estado e a que tem menos policiais. Também comentou sobre o fechamento das delegacias. "Não adianta termos delegacias apenas para registrar ocorrências. A delegada Regional entende que é preciso ter delegacias especializadas para dar andamento nas ocorrências, não apenas fazer o boletim de ocorrência", comentou Francisco. Já o agente da Guarda Municipal, Nilton Rodrigues falou que contam apenas com 40 guardas, e destes, em torno de 13 ou 14 ficam nas ruas, e eles atendem ainda 90 escolas, sem falar nos Centro de Educação Infantil (CEIs) . O vereador Natanael Jordão (PSD), membro da comissão também esteve presente na audiência. Leia também: Proteção Civil faz audiência no bairro São Marcos