O menino de dois anos que ingeriu cocaína no quarto de um motel em Jaraguá do Sul, no Norte de Santa Catarina, ganhou alta hospitalar.

Informações apuradas pela equipe do OCP apontam a criança ficou internada no Hospital Jaraguá até o domingo (11), quando foi liberada pelo médico.

De acordo com o delegado Caleu Henrique Gomes, da DPCAMI (Delegacia de Proteção à Criança, ao Adolescente, à Mulher e ao Idoso), a mãe do menino, de 21 anos, foi liberada.

Porém, o homem que estava com ela no estabelecimento, de 22, está detido no Presídio Regional de Jaraguá do Sul.

“Ambos foram ouvidos pelo delegado de plantão. Eles foram lá para fazer sexo e usar drogas e, por negligência da mãe, uma das crianças ingeriu cocaína”, afirma Caleu.

Ambos foram enquadrados no ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente) nos artigos 232, submeter menor a constrangimento; e 243, pela ingestão da droga.

Eles também foram detidos por abandono de incapaz. O homem ainda responde pelo crime de desobediência.

O caso foi registrado na madrugada do dia 8 de julho, na rua Manoel Francisco da Costa, no bairro João Pessoa.

Após atendimento no motel, os bombeiros voluntários levaram a criança para o hospital e chamaram a PM. O irmão dele também foi levado para a unidade.

Uma guarnição foi enviada para o local e se deparou com o homem.

Ele desobedeceu a voz de abordagem, correu e se trancou no quarto.

Os policiais militares arrombaram a porta e verificaram que havia sangue na cama e algumas toalhas no chão.

Também foram encontrados maconha e resquícios de cocaína no celular e em um chaveiro.

O homem estava alterado e nervoso, aparentando estar sob o efeito de drogas. Ele afirmou que fez sexo diante das crianças

A mãe delas também aparentava estar sob o efeito de drogas.

Ela disse que o filho passou mal após ingerir o entorpecente.

A mulher também afirmou que fez sexo com homem na frente das crianças.

Receba no seu WhatsApp somente notícias sobre segurança pública da região (acidentes de trânsito, ações policiais):

Whatsapp

Grupo OCP Segurança

Telegram

OCP Segurança