Menina de seis anos tem perna errada operada e equipe médica é afastada de hospital

Foto: Reprodução Redes Sociais

Por: Claudio Costa

28/04/2024 - 16:04 - Atualizada em: 28/04/2024 - 16:55

Uma equipe médica do Hospital de Emergência e Trauma de Campina Grande, na Paraíba, foi afastada após um erro em um procedimento cirúrgico em uma menina, de seis anos. O caso aconteceu na última quinta-feira (25).

A criança foi submetida a uma cirurgia para tratar uma celulite infecciosa e um trombo na perna esquerda. Porém, a equipe médica realizou o procedimento na outra perna. De acordo com familiares, a região que precisava ser operada estava “sinalizada” com uma tala.

“Não tinha o que se questionar qual era a perna a ser cirurgiada”, afirmou a tia da criança, Cristina Costa. Quando a menina saiu do centro cirúrgico, a mãe percebeu que a operação havia sido realizada no lugar errado.

Após o erro ser constatado, a menina foi submetida a outro procedimento e no momento se encontrada internada. Em nota, a unidade hospitalar afirmou que está tomando todas medidas para apurar e investigar o caso.

O diretor técnico Flavio Daniel afirmou que a equipe médica envolvida foi afastada de imediato. O Hospital de Trauma de Campina Grande também afirmou que prestará toda a assistência integral e necessária aos familiares e a paciente.

Confira a nota na íntegra:

NOTA DE ESCLARECIMENTO

Ao tomar conhecimento do ocorrido com uma criança sobre um procedimento cirúrgico na noite desta quinta-feira (25), a direção do Hospital de Trauma de Campina Grande tomou todas as providências para acolher a mãe e sua filha, prestando-lhes a assistência necessária. O diretor técnico Flavio Daniel se dirigiu até o hospital e determinou a instauração de uma sindicância para apurar a situação.

Toda equipe envolvida foi afastada de imediato do hospital até apuração e conclusão dos fatos.

O caso será devidamente investigado e direcionado ao Núcleo de Segurança do Paciente e Comissão de Ética Médica da Unidade de Saúde, após conclusão a Direção tomará as medidas administrativas cabíveis.

O Hospital se solidariza com a criança e seus familiares e se coloca à disposição para os esclarecimentos necessários a respeito dos fatos e suas consequências.

Por fim, informamos que a direção do Hospital de Trauma não compactua, tampouco é conivente com atos falhos ou erros médicos.

A Direção

 

*Com informações do Portal Correio.

Notícias no celular

Whatsapp

Claudio Costa

Jornalista pós-graduado em investigação criminal e psicologia forense e pós-graduando em perícia criminal.