A 3ª Promotoria de Justiça de Balneário Piçarras e o Departamento Estadual de Combate à Corrupção (DECOR), investigam um médico que atua na Rede de Saúde Pública do Município de Penha.

A Justiça determinou que o profissional fosse afastado das funções públicas, além de conceder mandado de busca e apreensão e a quebra do sigilo telefônico e de dados.

O profissional é investigado por supostamente ter fraudado documentos públicos para inserir informações falsas no sistema do Município de Penha sobre o número de consultas realizadas, possivelmente contando com o auxílio de outros servidores.

Pelas investigações, o suspeito também teria trabalhado com carga horária menor do que foi contratado, emitido atestados falsos e procurado outros médicos para ajustar preços e fraudar licitações.

Os mandados de busca e apreensão foram cumpridos na casa dele em Balneário Camboriú e na Secretaria de Saúde de Penha, com a participação do Ministério Público.

Por determinação da Justiça, o suspeito fica proibido de ter acesso às Unidade de Saúde, bem como à Secretaria de Saúde do Município de Penha, devendo manter uma distância de 100 metros desses locais.