Os corpos da desempregada Ana Paula Leme dos Santos Bilibio, 24 anos, e de seus dois filhos, Pedro Henrique, 6 anos, e Isabela, 3, estão sendo levados para a cidade de Laranjeiras do Sul, no Paraná, cidade natal da mãe e do menino, onde os corpos devem ser sepultados às 18 horas deste sábado (26), no Cemitério Municipal. As mortes da mãe e dos filhos foram descobertas na manhã desta sexta-feira (25), no apartamento em que eles viviam na rua Ursa Maior, no bairro Guanabara, na zona Sul de Joinville. A polícia acredita que Ana Paula teria matado as crianças por asfixia, com um travesseiro, e na sequência tenha cometido suicídio. A dona do imóvel encontrou os corpos após estranhar o silêncio na casa e resolver abrir a porta com uma chave reserva. O delegado da Delegacia de Homicídios, Elieser José Bertinotti, disse que após analisar o imóvel e constatar que a porta estava trancada por dentro e não há evidências da presença de outra pessoa no local, a conclusão é de que houve mesmo um duplo homicídio seguido de suicídio. Ele deve pedir exame toxicológico para saber se as crianças foram envenenadas. Ana Paula e o filho Pedro Henrique eram naturais do Paraná. As crianças são de pais diferentes. Isabela nasceu em Joinville. Ela é fruto de um relacionamento fugaz de Ana Paula com o Igor Machado, de 20 anos. Quando soube da tragédia, Igor entrou em desespero e chegou gritando a lamentando a morte da filha de apenas três anos. Apesar de muito abalado, ele autorizou que a filha seja enterrada ao lado da mãe e do irmão.

Mãe deixou um bilhete

Na cena do crime, a polícia encontrou uma frase embaixo de alguns contatos telefônicos, escrito por Ana Paula: “Não escrevo nada sem justificativa, ninguém me entende”. Vizinhos descrevem Ana Paula como uma jovem discreta e meia estranha, que não gostava muito de conversa. Ela procurava por emprego e estaria com três aluguéis atrasados. Pagava aos poucos o aluguel fazendo faxinas no próprio prédio onde morava. Recentemente, ela chegou a dizer a alguns conhecidos que tinha vontade de levar os filhos para morar com os avós em função da dificuldade de conseguir emprego. "A vida dela sempre foi muito sofrida", descrevem os ex-colegas de trabalho. LEIA MAIS: - Tragédia em Joinville: mãe e dois filhos encontrados mortos em apartamento na zona Sul