Uma família perdeu todos os pertences durante um incêndio em Jaraguá do Sul e agora pede a ajuda da comunidade.

O caso aconteceu na tarde desta segunda-feira (11), na RI 110, no bairro Chico de Paulo.

O Corpo de Bombeiros Voluntários atendeu a ocorrência por volta das 14h.

 

 

Uma adolescente de 13 anos estava com uma irmã e um irmão, de dois e cinco anos, na residência no momento em que iniciaram as chamas.

Foto: Fábio Junkes/OCP News

A jovem pediu ajuda para vizinhas e as duas crianças foram retiradas em meio ao fogo que consumiu completamente a casa de madeira alugada.

A mãe das crianças, Islaine Alves de Oliveira, de 33 anos, trabalha em uma empresa têxtil nas proximidades da casa.

Ela explica que sentiu o cheiro e viu a fumaça, mas não sabia que o incêndio estava ocorrendo na residência onde vive com o marido e os filhos.

“Eu não sabia que era a minha casa, mas parece que eu senti que era. Eu saí do trabalho porque sabia que os meus filhos estavam sozinhos na casa. Meu marido saiu para trabalhar e eles ficam sozinhos em torno de 30 minutos sozinhos até eu chegar, porque eu trabalho perto”, explica.

Muito emocionada com o ocorrido, Islaine acredita que o instinto de mãe foi o que fez ela ir ver se algo ocorreu com os filhos.

Foto: Fábio Junkes/OCP News

Felizmente, duas moradoras próximas conseguiram retirar as crianças ilesas da residência antes da chegada dos bombeiros voluntários.

Grávida de cinco meses, Islaine lamenta o fato de perder todos os pertences no fogo.

Ela pede a ajuda da comunidade para reiniciar a vida ao lado do marido de 30 anos e dos três filhos.

O contado de doações de móveis e roupas pode se feito através do número (47) 9 8811-4838.

Enquanto não encontra um novo local para morar, a família está hospedada em um hotel.

Crianças gritaram por socorro

Ivete Pereira Bardin e Cremar Moreira salvaram as crianças em meio ao incêndio.

Cremar conta que foi até a casa da vizinha após o tempo fechar.

Foto: Fábio Junkes/OCP News

No momento em que chamou por Ivete, ouviu os gritos da adolescente já fora da casa.

“Quando a gente chegou lá, já estava pegando fogo. Ela pegou as crianças dentro da casa e trouxe para cá. Eu fiquei socorrendo a mocinha que queria entrar na casa porque achava que era um sonho. Eu acho que elas iriam tentar apagar o fogo, mas não tinha o que fazer. Quando eu entrei no quarto, o fogo já estava subindo a parede. Foi um desespero muito grande”, conta Cremar.

“Eu fiquei muito emocionada por Deus ter me dado forças para salvar essas crianças. A primeira coisa que eu pensei foi nessas crianças, porque o bem material a gente recupera e a vida não volta mais”, relata Ivete.

Ao todo, seis bombeiros voluntários e dois caminhões foram enviados para combater as chamas.

Foram utilizados 12 mil litros de água para apagar o incêndio, resfriar casas vizinhas e fazer o rescaldo.

 

Receba no seu WhatsApp somente notícias sobre segurança pública da região (acidentes de trânsito, ações policiais):

Whatsapp

Grupo OCP Segurança

Telegram

OCP Segurança