mãe do bebê que foi asfixiado pelo pai deu uma entrevista para a equipe de reportagem do portal Click Camboriú, e falou sobre a barbaridade que aconteceu durante a madrugada de quarta-feira (24), em Camboriú.

A.P.S. contou que ela dormia quando a atrocidade aconteceu. — Não escutei choro pois com certeza estava com pano na boca dela — disse. A mulher disse que foi acordada pelo marido, “em ato de querer, de certo, que a menina morresse em meu colo”, suspeita.

— Acordei, corri para o berço onde minha princesinha estava sem poder respirar. Eu fiz massagem nas costas para reanimá-la. Escutando o choro, tomei ela em meu colo e levei a pé até o hospital de Camboriú — lembrou. — Ele foi atrás e não foi nem capaz de oferecer ajudar para carregar o bebê. Um moço que estava na casa com seus amigos que me ajudar a levar minha linda ao hospital.

— Até então não tinha visto seu rosto, pois estava escuro quando a peguei no berço. Minha prioridade era trazer ela de volta à vida. Quando vi ela com hematomas, me assustei! Perguntei ao médico se era agressão, ele confirmou que era, onde ele mesmo acionou a Polícia Militar e o Conselho Tutelar. Desde então estou com minha pequena no hospital Ruth Cardoso, onde suspeito que ele tenha usado soda para asfixiar ela, pois sua boca está toda queimada e sua saliva que saiu queimou parte da boca pelo lado de fora — relatou. — Estive ontem em casa e realmente o pote de soda e soro estavam fora do lugar e a soda estava aberta.

O depoimento foi dado nesta quinta-feira (24) na delegacia. O homem permanece preso e a criança internada.

Relembre o fato 

Uma menina de apenas três meses de idade pode ter sido vítima de uma tentativa de homicídio em Camboriú. A ocorrência foi registrada na madrugada desta quarta-feira (24), quando a Polícia Militar foi chamada por um médico para verificar o caso no Hospital de Camboriú.

O médico estava desconfiado das circunstâncias que levaram a criança e ter lesões no rosto. Os PMs conversaram com os pais da criança e o pai disse que, ao acordar para tomar um remédio, percebeu que a filha não estava respirando direito. Ele relatou que chamou a esposa, que fez uma massagem e a criança voltou a respirar normalmente. Depois, levaram a criança para o hospital.

A mãe confirmou a história, mas o homem tem passagem por violência doméstica. Ele foi levado para a delegacia. A criança foi transferida para o Hospital Ruth Cardoso, em Balneário Camboriú, e vai passar por exames detalhados. Os médicos examinaram a menina, que tinha machucados no rosto e na língua, características de uma tentativa de homicídio por asfixia.

Via Click Camboriú 

Quer receber as notícias no WhatsApp?