Neto do ex-presidente deu entrada no hospital na manhã desta sexta, mas morreu após internação na unidade | Foto: Reprodução/Facebook
Neto do ex-presidente deu entrada no hospital na manhã desta sexta, mas morreu após internação na unidade | Foto: Reprodução/Facebook

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi autorizado a comparecer ao funeral de seu neto, Arthur Araújo Lula da Silva, que morreu nesta sexta-feira (1), aos 7 anos, em decorrência de meningite meningocócica, informou a Justiça Federal.

A decisão foi tomada pela juíza Carolina Lebbos e revelada em nota divulgada pelo governo do Paraná. "O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva seguirá para São Paulo em avião do governo do Paraná. A aeronave foi liberada pelo governador [Ratinho Júnior], atendendo a pedido da Polícia Federal", diz o texto.

A autorização foi concedida com base no artigo 120 da Lei de Execução Penal, que autoriza a saída de "condenados, mediante escolta, quando ocorrer falecimento ou doença grave do cônjuge, companheira, ascendente, descendente ou irmão".

O Ministério Público Federal deu parecer favorável para a saída de Lula, que está preso desde abril de 2018 em uma sala especial na sede da PF em Curitiba. No entanto, o processo corre em sigilo e não se sabe se a decisão já foi decretada.

A defesa do ex-presidente, por sua vez, se comprometeu na petição a "não divulgar qualquer informação relativa ao trajeto que será realizado". Arthur era filho de Marlene Araújo e Sandro Luis Lula da Silva - filho de Lula e da ex-primeira-dama Marisa Letícia. A criança faleceu devido ao "agravamento do quadro infeccioso de meningite meningocócica".

Quer receber as notícias no WhatsApp?