Corpo da vítima foi localizado em meio a um bananal em Guaramirim Foto: Divulgação/PM
Corpo da vítima foi localizado em meio a um bananal em Guaramirim Foto: Divulgação/PM
Ocorreu ontem, no fórum de Guaramirim, sessão do tribunal do júri, que julgou um caso ocorrido em 13 de Abril de 2014, quando Jaime Devigilli, de 53 anos, foi morto com 15 facadas.  Anderson Carlos Henicka conhecido pela alcunha de “Lampião” e Cledir Belegante, estiveram no banco dos réus para o julgamento. A defesa estava a cargo dos advogados Dagoberto Azevedo Bueno Filho e Fagner Ferreira Azambuja. O ministério Público foi representado pela promotora Graziele dos Prazeres Cunha e a juíza responsável foi Fabíola Duncka Geiser. A sessão iniciou por volta das 09h30 da manhã e terminou por volta das 19h35. O Ministério Público pedia a condenação dos envolvidos pela morte brutal, já a defesa alegava Homicídio Privilegiado (causado por violenta emoção causada por provocação da vítima) por parte do autor dos fatos, lampião. Após o término da votação dos jurados, a sentença foi lida pela magistrada:
Cledir, foi inocentado das acusações de participação no crime, já Carlos, foi considerado culpado, sendo condenado a dezesseis anos e 4 quatro meses de reclusão, em regime inicial fechado, por infração ao disposto no art. 121, § 2º, incisos II, III e IV, do Código Penal. Além de estar também condenado ao pagamento das custas processuais. Tendo negado o direito de apelar em liberdade.
Relembre o caso
No dia 13 de abril de 2014, Jaime Devigili, 53 anos, foi encontrado morto por volta das 8h na Estrada Bananal do Sul, em Guaramirim. Jaime morreu após receber cerca de 15 facadas. Jaime morava com a mãe e não tinha histórico de tráfico de drogas, uso de entorpecentes ou de abuso no consumo de bebidas alcoólicas, segundo a Polícia Civil.