No último fim de semana o juiz Tiago Fachin, titular da Vara Criminal e corregedor do sistema prisional de São Francisco do Sul, tomou uma decisão polêmica e que causou reprovação da população e mal-estar em algumas instituições da SSP de Santa Catarina. Ele determinou que 14 presos que cumpriam pena em regime semiaberto fossem liberados da Unidade Prisional Avançada (UPA) da cidade. Superlotação e más condições estruturais da prisão teriam motivado a decisão. Existe ainda expectativa de que outros dez sejam transferidos ou soltos nos próximos dias, baixando a população carcerária de 134 para 110 detentos. Entre os soltos pelo juiz, um homem que participou de um latrocínio na praia de Ubatuba, no começo do ano. O magistrado declarou que não tem intenção de “simplesmente liberar os presos”, mas sim de que o Estado cumpra o que ficou acordado para que a prisão seja ao menos habitável. Em nota, o comandante geral da PM de SC, Coronel Paulo Henrique Henn, lamentou a decisão. Na nota Paulo diz que a decisão, ainda que revestida de legalidade, trará potencial ameaça a segurança da sociedade em geral, especialmente pela possível reincidência de presos que já cometeram crimes graves. Ele ainda destaca que decisões como essas, afetam diretamente a motivação do Policial Militar que arrisca sua vida para prender alguém e no fim vê todo esse esforço jogado fora com a liberação do criminoso. O governo ainda não se manifestou oficialmente.