Fonte Radar Auto Vale

Um caso que vem ganhando repercussão esta deixando apreensivo os moradores da cidade de Ilhota, em Santa Catarina.

Na última quinta-feira (21), começou a circular imagens de uma conversa do grupo de WhatsApp com nome de "Formandos", onde um jovem estaria perguntado aos colegas "se preferem morrer com um tiro, ser explodido ou queimado".

Nele, o estudante envia fotos onde aparece vestindo máscara e aponta arma para a própria cabeça. Em outro trecho, o garoto fala que Ilhota vai conhece-lo essa semana.

A repercussão chamou atenção da Polícia Civil de Ilhota, que já instaurou um inquérito para investigar as informações e encontrar as pessoas por traz do caso.

Prefeito se pronuncia

A repercussão foi tanta que o prefeito de Ilhota, Erico de Oliveira, usou o Facebook para comentar a história, neste sábado (23). Confira a postagem:

"Minha maior preocupação neste momento é dar uma resposta a todos os pais que tem seus filhos estudando, não somente na instituição a que se refere, mas em todas as escolas e creches do nosso município. Não cabe ao município investigar, mas quando soubemos o que estava acontecendo, informamos à Polícia Civil.Sei da aflição de todos os pais. Farei tudo o que está ao meu alcance para proteger nosso bem mais precioso. É muito difícil apurar tal ato. Se assim fosse, fariam em Suzano. Nenhuma inteligência da polícia conseguiu evitar a tragédia. Deus foi tão bom conosco que não ficamos sabendo somente após a concretização dos ataques. Começaremos na segunda-feira [dia 25/03] blitz nas escolas para tentar identificar crianças em potencial a tal ato. Junto com Conselho Tutelar, psicólogos e assistentes sociais, vamos monitorar as crianças que se encontram isoladas e que sofrem bullyng"

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?