Um levantamento divulgado nesta semana pela Delegacia de Homicídios (DH) de Joinville aponta redução de 35,2% na taxa de homicídios em comparação ao ano passado.

A análise dos números relacionados aos crimes dolosos contra a vida no primeiro semestre de 2018 mostra, segundo a DH, um aumento qualitativo na atividade de investigação de homicídios na maior cidade do estado, revelando um incremento de 28,8% nas prisões de homicidas e, por consequência, uma redução de 35,2% nas mortes no mesmo período.

Prisão de homicidas teve aumento de 28,8% 

Os registros expõem 48 homicídios até o final de junho de 2018, enquanto que no mesmo período de 2017 a marca alcançava 74 mortes, uma redução de 35,2%. No primeiro semestre do ano passado a DH havia realizado a prisão de 45 homicidas, ao passo que em 2018 foram 58 prisões até a presente data, um aumento de 28,8%. 

Lideranças do crime organizado responsabilizadas

Segundo a Polícia Civil, o balanço mostra, também, que a abordagem estratégica da especializada caminha no sentido correto, fazendo com que lideranças do crime organizado sejam responsabilizadas pelas mortes, e não apenas os executores diretos dos crimes.

"Concluiu-se que a autoria intelectual é, mais das vezes, o elemento de fomento principal a ser neutralizado, representando um grande desafio aos profissionais da DH na identificação e reunião de provas para levar os líderes de facções ao banco dos réus". 

Conforme a Polícia Civil, os resultados alcançados são expressivos e mostram que a repressão qualificada, lastreada na qualidade e efetividade da atividade de investigação, é elemento fundamental para fazer frente à impunidade e desincentivar práticas de crimes contra a vida. 

"Nesse contexto, se observa que a criação de uma unidade especializada, formada pela união de policiais motivados, qualificados e vocacionados para a investigação de homicídios, é fator primeiro a colocar a Polícia Civil de Joinville em destaque no cumprimento de sua atividade fim".

A criação da Vara Criminal exclusiva para crimes contra a vida em Joinville no Poder Judiciário, de acordo com a Polícia Civil, mostra a "primordialidade de uma atuação especializada e responsável no trato do maior bem que estado deve proteger: a vida!"

Análise dos números da DH

A análise dos números relacionados aos crimes dolosos contra a vida no primeiro semestre de 2018 mostra que os bairros com maior quantidade de registros foram o Jardim Paraíso e o Paranaguamirim, e que quase de 58% das mortes ocorreram em via pública.

As taxas de tentativas de homicídios e homicídios consumados em Joinville são superiores à quantidade de suicídios. O principal meio de execução é a arma de fogo e a motivação de quase um quarto dos crimes está relacionada às facções criminosas.

Homens, de cor branca, com idade de 19 anos a 25 anos, foram as principais vítimas de crimes dolosos contra a vida neste primeiro semestre.

Nos seis primeiros meses deste ano, todos crimes dolosos contra a vida foram cometidos por pessoas do sexo masculino, sendo que a faixa de idade de 26 a 35 anos foi a que concentrou o maior número de autores.

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?