A partir desta segunda-feira (25), 44 novos guardas municipais passam a atuar em Joinville. Com isso, haverá ampliação do horário e das áreas de atuação dos profissionais. O município passa a contar, agora, com 78 guardas municipais.

“Esse será um grande reforço para a segurança da nossa cidade. São profissionais da segurança pública que passarão a atuar de forma plena. Pretendemos ampliar as áreas de atuação da guarda e vamos estender a atuação que hoje é das 7h às 19h30, vamos ampliar até uma e meia da madrugada, com o acréscimo de mais um turno”, explica Paulo Rogério Rigo, secretário de Proteção Civil e Segurança Pública.

 

 

Os novos guardas municipais passaram por treinamento no Centro de Formação, Treinamento e Capacitação da Secretaria de Proteção Civil e Segurança Pública (Seprot), que tem como objetivo alinhar os fluxos de trabalho e fornecer treinamento operacional, principalmente de técnicas de tiro.

“As vantagens de serem formados aqui, além de estarem próximos da área de atuação, é que tivemos uma economia de cerca de R$ 1 milhão se tivéssemos que contratar a formação pela Academia de Polícia”, explica Rigo.

Foram duas fases de treinamento. Na parte final, mais de 400 horas de curso onde eles estudaram sobre trânsito, legislação, armamento, munição e tiro.

Foto: Prefeitura de Joinville

Além da formação inicial, com duração de aproximadamente 670 horas, os guardas municipais recebem, anualmente, qualificações periódicas que envolvem temas como legislação, policiamento comunitário, além de defesa pessoal, uso de armamento e tiro policial.

As áreas de atuação são em espaços públicos, praças, parques, unidades da educação e saúde.

A Unidade da Guarda Municipal, ligada a Secretaria de Proteção Civil e Segurança Pública (Seprot), é responsável por proteger bens, serviços e instalações do município, estabelecer integração com órgãos municipais de políticas sociais e com órgãos estaduais e federais, prestar apoio a agentes de fiscalização municipais, prestar apoio à população em situações de desastres, contribuir com a segurança escolar, atuar como agente de trânsito e colaborar com campanhas de interesse público.

Esses profissionais foram aprovados em concurso em 2019, mas com a pandemia, uma Lei Federal impedia que fossem chamados.

Assim que a lei perdeu a vigência, eles foram chamados pelo município. Passaram por provas de aptidão física, avaliação psicológica, avaliação de saúde ocupacional. A partir daí, iniciaram o curso de formação.