Fábrica da Weg em Jaraguá do Sul: três bilionários. Foto: Creative Commons
Cidade tem três nomes entre os mais ricos do mundo, atrás apenas de São Paulo e Rio de Janeiro
A cidade catarinense de Jaraguá do Sul (a 120 km de Curitiba) tem a maior concentração de bilionários do Sul e a terceira maior do país, atrás apenas de São Paulo e Rio de Janeiro. O município, segundo o ranking elaborado pela consultoria chinesa Hurun, tem três bilionários, contra 20 em São Paulo e oito no Rio de Janeiro. Só outra cidade do Sul, Porto Alegre, tem ricaços na lista (dois). Os três nomes de Jaraguá do Sul são de acionistas da Weg, companhia que fabrica motores, compressores industriais e geradores elétricos. A crise econômica no Brasil, que foi acompanhada da desvalorização do câmbio, reduziu o patrimônio dos catarinenses em quase 40%, mas eles conseguiram se manter na lista com um valor de US$ 1 bilhão. O grupo Votorantim é o que tem o maior número de bilionários no país. São cinco nomes na lista. Na crise, o bilionário que mais ganhou dinheiro no ano passado foi Jorge Moll Filho, da Rede d’Or, grupo hospitalar que teve parte do capital vendido para fundos de investimentos estrangeiros – seu patrimônio cresceu 200%, para US$ 4 bilhões.

Mundo

O título de cidade com mais bilionários do mundo ficou com Pequim, que superou os 95 de Nova York e alcançou o primeiro lugar do mundo no ranking. A capital chinesa ganhou 32 novos bilionários no ano passado, enquanto Nova York recebeu apenas quatro. Moscou ficou em terceiro lugar, com 66 bilionários, enquanto Hong Kong e Xangai alcançaram a quarta e a quinta posições, com 64 e 50, respectivamente. O estudo, que é divulgado meses após relatórios sugerirem que a China havia ultrapassado os Estados Unidos na quantidade de bilionários, destaca como a elite do país asiático continua a acumular uma vasta riqueza mesmo com o mercado de ações sofrendo fortes oscilações e a economia em desaceleração. A China agora tem 568 bilionários, contra 535 dos Estados Unidos, de acordo com o ranking. Homem mais rico da China, o empresário do mercado imobiliário Wang Jianlin ficou em 21º lugar no ranking mundial. Outros bilionários chineses entre os cem mais ricos do mundo incluem o fundador do Alibaba, Jack Ma; o dono da produtora de bebidas Hangzhou Wahaha Group, Zong Qinghou; e os diretores de tecnologia da Xiaomi, fabricante de telefones, do portal de serviços de internet Tencent e do site de busca Baidu. O Brasil perdeu sete bilionários no último ano, e tem agora 49 pessoas na lista da Hurun.
DA REDAÇÃO, COM AGÊNCIA O GLOBO - Texto publicado na edição impressa de 25 de fevereiro de 2016