Há cinco anos, a família de Zenilda Ribeiro Martins convive com a dor e a indignação de perder alguém em um acidente violento. A filha da diarista, Pâmela Eduarda Tavares, na época com apenas 12 anos, foi atropelada no acostamento da SC-110 enquanto ia para o treino de futebol acompanhada da irmã, Gislaine Ribeiro Martins Tavares, também atingida pelo veículo.

A mãe da adolescente conta que a menina foi arrastada por aproximadamente 50 metros, enquanto sua irmã sofreu fratura exposta na perna e hoje, com 20 anos, já passou por quatro cirurgias e ainda apresenta dificuldades na locomoção.  “É uma dor que não passa, temos que tirar forças de onde não tem”, comenta Zenilda.

O acidente aconteceu em 6 de setembro de 2013, quando Ederson Feliciano perder o controle do Volkswagen Gol  e invadiu o acostamento da pista. Embriagado, ele tentou fugir do local, mas precisou parar após uma pane no veículo e foi contido por populares até a chegada da PM.

Ederson ficou preso por aproximadamente nove meses após o acidente e foi a júri popular. A audiência aconteceu no dia 14 de novembro de 2017, sendo condenado há três anos e seis meses em regime aberto pelos crimes de homicídio culposo, pela morte de Pâmela, e de lesão corporal culposa, pelas lesões sofridas por Gislaine.

Emocionada, a mãe das meninas agradece à Marcha do Silêncio pelo apoio e ajuda que o movimento tem prestado à família desde o acidente. “Conhecemos pessoas na Marcha que estiveram conosco no momento em que mais precisamos, conhecemos muitas pessoas através dessa perda e elas nos acompanharam e auxiliaram no julgamento”, afirma.

Quase 10 mil acidentes com vítimas

Segundo dados do 14º Batalhão da Polícia Militar de Jaraguá do Sul, a maioria dos acidentes de trânsito do município ocorre pela falta de atenção dos motoristas, sendo esta a causa de mais de 2.398 acidentes por ano, média realizada no período entre 2008 e 2018.

Veja os números da última década:

Violência é tema de marcha

Outro número preocupante é a quantidade de acidentes causados pela embriaguez no volante, tema da Marcha do Silêncio desse ano, é a causa de aproximadamente 117 colisões por ano no município, os organizadores tentam através da campanha conscientizar as pessoas do perigo que oferecem quando misturam o álcool com a direção.

A caminhada acontece no terceiro domingo de novembro, quando é considerado o “Dia Mundial em memória das vítimas de acidente de trânsito”.

Em sua 11ª edição, a marcha traz o slogan “Uma caminhada pela vida, contra a violência no trânsito” e tem a intenção de conscientizar a população sobre os altos números de acidentes, além de lembrar e homenagear as vítimas dessa violência.

Serviço

  • O que: 11ª edição da Marcha do Silêncio em Jaraguá do Sul;
  • Onde: Concentração na Praça Ângelo Piazera;
  • Quando: Domingo (18), às 8h30.

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?