Jaraguá do Sul é destaque nacional na segurança pública e já foi eleita a cidade mais segura do país. O OCP ouviu autoridades da segurança pública, do setor público e privado para entender o porquê desse cenário positivo em um país violento como o Brasil.

O comandante do 14º BPM (Batalhão de Polícia Militar), tenente-coronel Valdeci de Oliveira da Silva, destaca que o grande diferencial de Jaraguá do Sul está na seriedade do trabalho dos policiais militares. Segundo ele, 100% das ocorrências recebidas pelo Copom (Centro de Operações da Polícia Militar) são atendidas.

"Esse trabalho intenso e a forma como as guarnições desenvolvem as ações nas ruas faz toda a diferença. A segurança pública é complexa e difícil de mensurar, mas ela é basicamente sensação de segurança. Você se sente seguro em Jaraguá do Sul por causa das ações desenvolvidas e do ambiente que é gerado por esse trabalho", frisa.

No primeiro semestre de 2022, foram registradas 53 mil ligações no 190 do Copom de Jaraguá do Sul. Essas chamadas geraram quase 15 mil deslocamentos de viaturas para ocorrências no período.

"Desses atendimentos, nós tivemos 962 termos circunstanciados lavrados em ocorrências de menor potencial ofensivo. Essas pessoas tiveram a sua situação mediada, foram liberadas no local e vão comparecer no Judiciário. Nós tivemos 472 prisões e apreensões nesses seis meses, conduções de pessoas presas em flagrante e entregas na delegacia", frisa.

Outra marca da Polícia Militar em Jaraguá do Sul é a cultura das abordagens. Através das verificações de pessoas em atitude suspeita, a PM consegue flagrar diversas situações delituosas, como porte ilegal de armas e o tráfico de drogas.

"Em Jaraguá do Sul, a tolerância é zero para a posse e o tráfico de drogas. No primeiro semestre, tivemos a apreensão de 180 quilos de entorpecentes dos mais variados tipos. Isso tudo sem operação específica ou mesmo mandado de prisão. Tudo isso flagrado em ações de abordagens na rua ou na abordagem nas ocorrências. É importante frisar que há um pequena circulação de drogas e comércio de pequena monta na cidade", ressalta Valdeci, ao lembrar que foram apreendidas 28 armas e 87 mandados de prisão cumpridos. "Isso demonstra o perfil do trabalho do policial militar em Jaraguá do Sul", completa.

O comandante considera que esses fatores são essenciais para a geração de um ambiente de segurança no município. A população vê constantemente a presença das guarnições e o trabalho intenso da PM acaba refletindo na qualidade de vida da população.

"É uma grande honra para a Polícia Militar participar desse grande resultado social de Jaraguá do Sul. A cidade ganha destaque nacional e a segurança tem um grande valor primordial nessa qualidade de vida. Não adianta ter riqueza e não poder usufruir disso porque não tem segurança. A segurança pública é uma marca indelével da cidade e a Polícia Militar, junto com as outras polícias, faz parte disso", pondera o oficial.

Dois homicídios em seis meses

Jaraguá do Sul registrou dois homicídios nos seis primeiros meses de 2022. Para uma cidade com população estimada em 184.579 habitantes, esse é um número considerado baixo pelas autoridades de segurança pública.

Homem apontado como autor de tentativa de homicídio em abril no Chico de Paulo e roubo a um taxista de Guaramirim em maio foi preso no dia 8 de junho | Foto: Polícia Civil/Divulgação

O delegado titular da DIC (Divisão de Investigação Criminal) de Jaraguá do Sul, Daniel Dias, destaca que o número baixo de crimes contra a vida registrado na cidade é consequência da alta taxa de resolutividade. Ele destaca que essa alta taxa de resolução de homicídios é o resultado do trabalho conjunto com as polícias Militar, Científica e Penal.

"A mensagem que a gente passa para os criminosos é de que a maioria dos crimes serão resolvidos em Jaraguá do Sul. Isso inibe a prática e que criminosos de outras regiões venham para cá. Eles já sabem que crimes cometidos aqui serão esclarecidos e os autores serão punidos", alerta.

De acordo com Dias, a prisão de um homicida logo no primeiro crime evita que ele pratique outros, o Estado mostra para o criminoso que o crime não valeu a pena porque será preso e condenado com o rigor da lei.

Parceria com os empresários

O envolvimento da classe empresarial de Jaraguá do Sul com a segurança pública é reconhecido pela comunidade, por representar um apoio efetivo na redução dos índices de criminalidade. O modelo apoiado pela Acijs (Associação Empresarial de Jaraguá do Sul), com envolvimento de outros segmentos da comunidade, vem contribuindo de maneira sistemática em projetos que envolvem as polícias Civil e Militar.

Já no final da década de 1990, a entidade participava ativamente na busca de melhorias com o Projeto Âncora, criando uma sinergia na relação entre poder público, Judiciário, bombeiros, polícias e a sociedade civil.

“Um trabalho que só traz benefícios para toda a região", pontua Luiz Carlos Buzzarello, vice-presidente da Acijs para assuntos de segurança.

Outra iniciativa apoiada pela entidade foi a criação da Associação de Amigos da Segurança Pública, em 2015, que atua de forma voluntária e sem fins lucrativos, com o objetivo de dar assistência aos órgãos de segurança. Os associados mobilizam a comunidade para viabilizar recursos para a compra de equipamentos como viaturas, itens de proteção individual, armamentos, na ampliações físicas nas unidades policiais e até mesmo na capacitação de profissionais.

Buzzarelo entende que o engajamento dos segmentos organizados da sociedade fortalece o sentimento de proteção que a comunidade sempre espera dos órgãos de segurança. No âmbito da segurança pública, destaca ainda a participação da classe empresarial junto ao Conselho Penitenciário Municipal, no apoio à gestão do Presídio Regional e em projetos de ressocialização de apenados, ou mesmo no envolvimento em campanhas de trânsito, de conscientização à violência doméstica, entre outras ações.

Convênios ajudam órgãos de segurança

A Prefeitura de Jaraguá do Sul mantém convênios que apoiam as polícias Civil e Militar. De acordo com o secretário de Planejamento e Urbanismo, Eduardo Bertoldi, a aplicação dos recursos reforçam a preocupação com a segurança e a qualidade de vida da população.

Bertoldi enfatiza a importância das parcerias com as instituições, focadas em suprir as demandas e aperfeiçoar os serviços. Inclusive, trazer inovações e tecnologias diferenciadas que refletem em um trânsito mais seguro, melhor atendimento nas delegacias e melhor performance no combate ao crime, por exemplo.

"Para nós é sinônimo de orgulho poder contribuir com a segurança pública do nosso município que, inclusive, é referência para o país. Atualmente, temos seis convênios com as forças de segurança, sendo quatro deles com a Polícia Militar e dois com a Polícia Civil”, descreve Bertoldi.