Foto: Divulgação O Instituto Rã-Bugio, de Jaraguá do Sul, está divulgando em sua página no Facebook uma campanha de financiamento coletivo pelo site Vakinha (ajude clicando aqui) para obter recursos para recuperação das instalações e novos equipamentos para o Centro Interpretativo da Mata Atlântica (Cima), que na semana passada foi alvo de um ataque classificado como um verdadeiro ataque de terrorismo. O centro, localizado em área de mata atlântica no bairro Barra do Rio Cerro, foi alvo de vandalismo e furto. A ação dos vândalos deixou um rastro de destruição e sentimento de impotência em sua diretoria diante de tanta violência. Confira abaixo a nota publicada na página do instituto e confira como ajudar: "Construímos com doações as instalações do Centro Interpretativo da Mata Atlântica em Jaraguá do Sul (SC) para ser usado pelas escolas, atendendo alunos e professores em atividades interativas com a natureza, ou seja, educação ambiental ao ar livre. Veja como é o local nestas imagens que é bem isolado e parece ser seguro, mas não é bem assim. Nosso Brasil está cada vez mais violento. Não sei onde isso vai parar. Na semana passada sofremos o segundo ataque (ato de terrorismo!) no Cima em menos de um ano, com vandalismo e furto. Na primeira vez, foram à noite lá e quebraram todos os vidros com um tijolo, mas não furtaram nada. Gastamos cerca de R$ 2 mil para colocar vidros novos, dinheiro que saiu do minguado fundo de reserva do Instituto Rã-bugio, que está quase zerado. Porém, desta vez foi assustador o que fizeram. A Elza (diretora do local) está devastada. Quebram vidros novamente, as fechaduras e trancas das janelas de todos os quartos, biblioteca e auditório. Em algumas janelas eles quebram até os batentes (guarnições) para arrombar e não há como consertar sem trocar tudo. Furtaram vários itens: forno de microondas, todos os utensílios de cozinha, suficientes para preparar comida e servir até 50 pessoas, uma escada extensiva de alumínio de dez metros (que custa mais de R$ 700) e vários outros objetos. O prejuízo foi enorme. Pior: se forem denunciados e intimados pela polícia, eles vão lá e podem tocar fogo em tudo. Agora, as portas e janelas arrombadas ficarão abertas por muito tempo porque não temos recursos para consertar e os bandidos, quando forem furtar palmito, podem entrar à vontade e levar o resto que quiserem, como os móveis, geladeira etc. que ainda não levaram. Diante desta situação estamos pedindo doações para recompor o fundo de reserva do Instituto Rã-bugio para despesas emergenciais até mais urgentes do que esta e podermos continuar nossa missão de salvar a mata atlântica. Segue o link de nossa campanha no site de financiamento coletivo brasileiro, Vakinha (eles cobram 7% de comissão sobre o valor doado e retém o dinheiro por 15 dias)", informa a nota publicada. A campanha é concentrada no site Vakinha e pode ser acessada clicando aqui. As doações podem também serem feitas diretamente na conta do Instituto Rã-bugio Banco do Brasil S.A – código do banco: 001 Agência 2095-8 (Guaramirim, SC) Conta: 9.588-5 Instituto Rã-bugio para Conservação da Biodiversidade CNPJ 05.626.183/0001-79