*Com informações da assessoria de imprensa Nas últimas três semanas, as internações hospitalares por gripe causada pelo vírus Influenza aumentaram em todo o estado. Desde o início do ano, já foram confirmadas 119 internações. No total, 14 evoluíram para óbito, todos pelo vírus Influenza A(H3N2). Os dados constam no Informe Epidemiológico n° 09/2017 – Vigilância da Influenza, divulgado nesta quinta-feira, 1º de junho, pela Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive) da Secretaria de Estado da Saúde (SES). “A média passou de nove internações por semana no mês de abril para 21 em maio. O perfil dos casos comprova a prevalência da doença entre a população que compõe os grupos prioritários da campanha de vacinação, ou seja, com algum fator de risco associado”, afirma Vanessa Vieira da Silva, gerente de Imunização da Dive. Dos 119 casos, 74 (62,2%) apresentaram algum fator de risco associado, dos quais 44 (59,5%) eram idosos (acima de 60 anos), 12 (16,3%) eram portadores de doenças crônicas, nove (12,2%) eram obesos, oito (10,8%) eram crianças com idade abaixo de 2 anos, além de uma gestante. Dentre os 14 óbitos por Influenza, 11 (78,6%) apresentaram algum fator de risco para agravamento (idosos, doentes crônicos e obesos). Os dados comprovam a importância da imunização contra a gripe, que segue em todo o país até o dia 9 de junho. Até o momento, a 19ª Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza apresenta cobertura vacinal de 83% em Santa Catarina. No total, foram aplicadas 1.144.591 doses em pessoas pertencentes ao público-alvo da campanha. Para receber a vacina, basta comparecer a um posto de saúde da rede pública. Professores e trabalhadores de saúde devem apresentar comprovante de vínculo com a instituição; os portadores de doenças crônicas precisam levar um atestado médico com a indicação da vacina.