Idoso é preso por matar a companheira a marteladas e esquartejar o corpo

Foto: PCMG/Divulgação

Por: Claudio Costa

28/01/2024 - 06:01 - Atualizada em: 28/01/2024 - 06:29

Um idoso, de 70 anos, foi preso por femicídio, ocultação de cadáver e fraude processual em Campo Belo, na região Oeste de Minas Gerais.

O flagrante foi feito pela Polícia Civil na tarde de quinta-feira (25). A vítima, de 53 anos, era esposa do autor.

O idoso procurou a polícia para registrar o desaparecimento da mulher, informando que a viu pela última vez no dia 21 de janeiro.

Ainda, segundo ele, a esposa teria saído de casa levando os celulares do casal.

A partir desse registro, a equipe da Polícia Civil foi até a residência do casal.

Os policiais civis verificaram que o local estava abandonado e com manchas de sangue espalhadas pela casa.

Diante dos indícios de crime, a perícia foi chamada para o local, confirmando a incidência de fato criminoso.

Os investigadores convidaram o suspeito para ir até a Delegacia de Polícia, onde ele confessou o crime e contou onde teria ocultado o corpo da esposa.

Imediatamente, equipes policiais seguiram ao local informado e encontraram, nos fundos de um galpão no bairro Vale do Sol, o corpo da vítima.

Como estava em uma cova de difícil acesso, com mais de um metro de profundidade, foi necessário chamar o Corpo de Bombeiros para auxiliar nos trabalhos.

Acompanhado dos advogados, o autor confessou o crime e detalhou toda a ação.

Conforme o relato, após uma discussão, o homem teria atingido a cabeça da mulher com diversas marteladas.

Ao constatar a morte da esposa, o investigado teria esquartejado o corpo dela com uma faca, colocado os pedaços em um tambor de plástico e jogado soda cáustica para dissolvê-lo.

Posteriormente, ele cavou um buraco em um terreno baldio, colocou o corpo em três sacolas de lixo e jogou na cova, cobrindo com terra em seguida.

O conduzido confessou, ainda, que lavou os cômodos da casa buscando eliminar os vestígios do crime.

O idoso foi autuado em flagrante pelo crime de ocultação de cadáver, assim como foi encaminhado à Justiça o requerimento de prisão preventiva pelos crimes de feminicídio e fraude processual.