O Hospital e Maternidade Jaraguá inaugura, nesta quinta-feira (9), o Centro de Medicina Nuclear, um marco na saúde da cidade. A tecnologia, totalmente nova para a microrregião, vai suprir uma demanda de pacientes que, até então, precisava se deslocar para outras cidades em busca desse tipo de atendimento. O setor, conforme Roseli Catarina Corezzolla, da gerência do Centro de Imagem do HMJ, tem capacidade para fazer todos os exames de Medicina Nuclear do Vale do Itapocu e, ainda, há a possibilidade de ampliar essa abrangência. “É um modelo que atende a todas as novas exigências dos órgãos nacionais e estaduais reguladores da atividade”, complementa. Responsáveis técnicas do Centro, as médicas Mônica Soares Stacheski e Caroline Müller Mayer explicam que a medicina nuclear é uma especialidade médica de alta tecnologia que realiza exames conhecidos como cintilografias. O método utiliza radioisótopos com finalidade diagnóstica e terapêutica, atendendo pessoas de todas as idades, inclusive recém-nascidos e pacientes graves com insuficiência renal e cardíaca. “Estuda a função dos órgãos, ou seja, baseia-se em uma análise funcional e não anatômica, o que contribui diretamente para o diagnóstico precoce, estadiamento e controle evolutivo de muitas doenças”, comentam. Utilizada em múltiplas especialidades, a medicina nuclear colabora com o diagnóstico de doenças cardíacas, pulmonares, cerebrais, oncológicas, ortopédicas, renais, endócrinas e do sistema digestivo. Além da aplicação diagnóstica, a medicina nuclear possui finalidade terapêutica. Ela é usada, por exemplo, em casos de hipertireoidismo, câncer da tireoide, alguns tumores neuroendócrinos e no tratamento paliativo da dor óssea por doença metastática e na sinovectomia em pacientes reumáticos.
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação
As especialistas ainda ressaltam que o Centro segue cuidados e exigências específicos para a área e os aparelhos são submetidos a rigorosos controles de qualidade e procedimentos de calibração para obtenção de imagens de alta sensibilidade. “Isso torna a cintilografia capaz de detectar lesões meses antes do aparecimento em outros métodos diagnósticos de imagem”, enfatiza a Dra. Mônica Soares Stacheski. “O objetivo final é sempre o diagnóstico precoce”, completa a Dra. Caroline Müller Mayer. Conforme as médicas especialistas, é fundamental que todos os exames solicitados tenham a devida indicação médica. Histórico O projeto do Centro de Medicina Nuclear surgiu em 2010 tendo como motivação a inexistência do serviço na microrregião. Levando em conta as características e o fato de ser inovador para a saúde local, a equipe do Centro de Imagem buscou a parceria do empresário, já falecido, Gilberto Menel. A partir de então, foram iniciados os estudos para a implantação, sendo que a construção começou em 2012 com apoio de Julio Cesar de Azevedo e Tcharla Menel. De acordo com a gerente Roseli Catarina Corezzolla, a inauguração renova o pioneirismo e o compromisso do Centro de Imagem do Hospital e Maternidade Jaraguá em oferecer atendimento de excelência à comunidade.