O Hospital e Maternidade Jaraguá acaba de trazer da Holanda uma inovação na área da maternidade para oferecer mais conforto aos bebês prematuros internados na unidade. O ofurô se caracteriza pela imersão em uma banheira de formato específico, ajuda a aliviar as tensões do dia a dia. Mas, quando aplicada em bebês prematuros, a técnica pode trazer benefícios que vão muito além do relaxamento. A imersão, que transmite as sensações do útero materno, é capaz de diminuir o estresse, aliviar cólicas, melhorar o sono, regular o batimento cardíaco e favorecer os estímulos neurológicos e sensoriais dos recém-nascidos. A equipe do Hospital e Maternidade Jaraguá passou a aplicar, recentemente, a técnica entre os pacientes da unidade. A medida vai ao encontro dos valores da instituição, que preza pelo atendimento de excelência pautado na humanização. "Os bebês internados no hospital estão muito propensos ao estresse. Eles estão em um ambiente cercado por aparelhos. Esse relaxamento é fundamental", afirma a coordenadora da equipe de Enfermagem do setor de Pediatria do HMJ, Djenifer Karina Neiverth.
Foto: Divulgação/Entrelinhas
Foto: Divulgação/Entrelinhas
A reação dos bebês que experimentam a técnica é imediata. "Eles ficam muito relaxados, pois se sentem como se estivessem no útero da mãe. Depois, eles dormem melhor e até mamam com mais tranquilidade. Sendo assim, o ofurô também contribui para o ganho de peso dos prematuros", explica. Segundo os especialistas, as mães podem testar a técnica em suas próprias casas. Para isso, é preciso separar um balde novo, com bordas arredondadas e que seja utilizado somente para tal finalidade. Basta imergir o bebê em água morna, entre 36 e 40 graus, por cerca de dez minutos. O líquido deve ficar na altura do ombro do bebê. O ofurô é indicado para prematuros e bebês com até três meses de vida. O método é contraindicado em casos de febre, ferida aberta, erupção cutânea contagiosa, peso inferior a 1,2 quilo e imaturidade funcional. Fonte: Entrelinhas