A Polícia Civil vai investigar a morte de Eduardo Alberto Torres, encontrado morto por volta das 14h30 deste domingo (12) com um profundo corte no pescoço, numa casa abandonada, na rua José Vieira, bairro Corveta, em Araquari, no Norte de SC. Embora a polícia não confirme, uma amiga da vítima que prefere não ser identificada, afirmou que Eduardo é quem tentou apagar a tocha olímpica com um extintor de incêndio quando ela passou por Joinville. O fato aconteceu em julho do ano passado. Segundo a Polícia Militar de Araquari, que atendeu o caso, o homem foi degolado. O suspeito do crime ainda não foi identificado. Moradores do bairro revelaram, aos policiais, que Eduardo fazia parte do Movimento Sem Terra (MST), e que era uma pessoa tranquila e sem inimigos, e as vezes ingeria bebida alcoólica. Ainda neste domingo o corpo foi levado ao Instituto Médico Legal (IML). A vítima era natural de Apucarana (PR) e a Polícia Civil de Araquari busca informações sobre o homicídio. Eduardo Alberto Torres ficou conhecido como o homem que tentou apagar a tocha olímpica em julho do ano passado. Ele estava em Joinville quando acompanhou o revezamento da tocha. Ao chegar na Beira Rio, região central de Joinville, tentou apagar a chama com um extintor de incêndio, mas logo foi contido pela polícia. Levado para a delegacia de polícia, somente foi solto após assinar um termo circunstanciado, e responderia pelo crime de perturbação ao sossego. Na época, ele alegou que praticou o ato porque não era de acordo com as Olimpíadas no Brasil, pois o dinheiro poderia ser usado para outras prioridades.
Eduardo tentou apagar a tocha olímpica com um extintor de incêndio quando ela passou por Joinville | Foto Arquivo