A Divisão de Investigação Criminal concluiu o inquérito sobre o duplo homicídio qualificado ocorrido no bairro Brasília. A investigação apontou que o crime foi premeditado por Júnior, e que ele pretendia simular um latrocínio (assalto seguido de morte), roubando pertences e levando consigo o aparelho que armazenava as imagens do circuito de monitoramento.

No dia 18 de setembro, Osmar Unisesky Junior tirou a vida do pai, Osmar Unisesky, e da meia-irmã, Franciele Aparecida Jelinski Unisesky. Conforme já se suspeitava, a motivação foi uma possível divisão de herança com a meia-irmã.

Mesmo tendo três armas registradas em sua casa, o criminoso se utilizou de uma arma “fria” e estava com os bolsos repletos de munição extra, confirmando que planejou o crime e pretendia sair impune.

Devido à reação de seu pai, Júnior foi obrigado a se distanciar para recarregar a arma, dando tempo suficiente para que Franciele acionasse a polícia, o que impediu que o plano fosse concretizado.

Segundo a Polícia Civil, essa foi a razão pela qual ele acabou fugindo e deixando o filho de apenas dois anos sozinho em casa. Não há indícios de que ele tenha sido auxiliado por outras pessoas e a investigação foi encerrada. Júnior segue à disposição da Justiça, atualmente detido na penitenciária de Itajaí.

Com informações do jornal A Gazeta.