Homem que matou a filha de cinco anos não quis acompanhar o julgamento em Guaramirim

Foto: Fábio Nunes/OCP News

Por: Claudio Costa

30/08/2022 - 14:08 - Atualizada em: 30/08/2022 - 17:18

O homem que matou a filha de cinco anos não quis acompanhar o julgamento em Guaramirim.

O Tribunal do Júri está sendo realizado no Fórum da Comarca de Guaramirim, nesta terça-feira (30).

De acordo com a assessoria da juíza Tatiana Cunha Espezim, da 2ª Vara da Comarca de Guaramirim, o réu pediu dispensa e o pedido foi deferido.

O Código de Processo Penal permite que o Tribunal do Júri ocorra sem a presença do réu.

Ubiratan Luis Modrock conversou com o advogado e pediu para não participar.

A defesa formulou o requerimento e Modrock foi dispensado.

Em seguida, ele foi encaminhado pela Polícia Penal para o Presídio Regional de Jaraguá do Sul, onde aguarda o resultado do julgamento.

Segundo a assessoria da juíza, a ausência dele não interfere no resultado.

Na parte da manhã, diversas testemunhas foram ouvidas. Uma delas foi a mãe da menina, Franciele Beregula.

Modrock confessou o assassinato de Evelyn Vitória Modrock em depoimento à Polícia Civil.

A denúncia narra que o assassinato ocorrido em julho de 2021, no bairro Guamiranga, foi por motivo torpe, devido a não aceitação do genitor com o fim do relacionamento amoroso com a mãe da criança.

Em um primeiro momento, o pai disse em depoimento à Polícia Civil que um homem invadiu a residência, o agrediu com golpes de faca e matou a filha asfixiada.

Porém, ao ser confrontado durante o depoimento, ele disse que matou a criança asfixiada com uma camisa e, em seguida, tentou se matar.

Segundo a denúncia, o crime também foi praticado mediante recurso que dificultou e tornou impossível a defesa da vítima, pois, além de ser pega de surpresa, a menina não teve forças para se proteger.

Receba no seu WhatsApp somente notícias sobre segurança pública da região (acidentes de trânsito , ações policiais):

Whatsapp

Grupo OCP Segurança

Telegram

OCP Segurança

Notícias no celular

Whatsapp

Claudio Costa

Jornalista pós-graduado em investigação criminal e psicologia forense e pós-graduando em perícia criminal.