Um homem acusado de, ao resistir à prisão, tentar estrangular o policial com um golpe de "mata-leão", será julgado pelo Tribunal do Júri pelo crime de tentativa de homicídio triplamente qualificado.

Os fatos aconteceram em setembro de 2019, durante uma blitz em Passo de Torres.

Segundo a sentença de pronúncia, prolatada nesta terça-feira pelo juiz Renato Della Giustina, da comarca de Santa Rosa do Sul, o Conselho de Sentença também irá julgar os crimes de resistência e desacato.

Em abordagem

De acordo com os autos, após ser abordado por dois policiais militares que constataram irregularidades no seu veículo, o acusado teria começado a ficar agressivo ao saber que o carro seria apreendido.

Ao sair do automóvel, após o procedimento ser finalizado, desacatou os policiais e ofereceu resistência a prisão, além de impedir a colocação das algemas.

Em seguida, o acusado e um policial entraram em luta corporal e o réu teria tentado asfixiá-lo com um golpe de estrangulamento conhecido como "mata-leão".

Policial ficou desacordado

Mesmo após intervenção do outro agente, o homem só soltou a vítima ao ser atingido por dois disparos de bala de borracha.

O policial vítima do ataque chegou a ficar desacordado e precisou de atendimento médico.

O homem será julgado por tentativa de homicídio triplamente qualificado - pelo emprego de asfixia, mediante recurso que dificultou a defesa da vítima e para assegurar a execução, a ocultação, a impunidade ou vantagem de outro crime, além de desacato e resistência.

O réu está preso preventivamente e a ele foi negado o direito de recorrer em liberdade.

Cabe recurso da decisão ao Tribunal de Justiça de Santa Catarina.